Domingo, 05 de Abril de 2020
Manaus

Policiais são flagrados dormindo em viatura durante horário de serviço, na Zona Centro-Sul

"Soneca" foi tirada nesta quinta-feira (1), segundo o Ciops. Comandante da 23ª Cicom garantiu que situação foi repassada à Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD) e PM informou que transgressão não é crime militar



1.gif Imagens foram geradas pelo próprio circuito interno da viatura
02/05/2014 às 20:22

Dois policiais militares da 23ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que fazem policiamento ostensivo em parte da Zona Centro-Sul de Manaus, foram flagrados dormindo dentro de uma viatura, em horário de serviço, na noite da última quinta-feira (1), nas proximidades da Arena da Amazônia.

De acordo com informações levantadas pela reportagem, o flagrante foi feito pelo próprio circuito interno da viatura que gera as imagens para o Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), localizado na avenida André Araújo, no Aleixo, também na Zona Centro-Sul.

Nas imagens que a reportagem teve acesso, é possível verificar que os dois soldados estão deitados, um no banco do motorista e o outro no do passageiro. É visível, também, que os policiais estão fardados e um deles tem a braçadeira da 23ª Cicom no lado esquerdo. A fotografia mostra, ainda, que o registro foi feito na noite do dia 1, por volta das 23h37. 

Transgressão

O comandante da 23ª Cicom, major Nilo Corrêa, explicou que tomou conhecimento do fato na manhã desta sexta-feira (2) e que já repassou a situação para a Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD) da Polícia Militar do Amazonas, que está apurando os fatos. 

Ele confirmou que os soldados estavam cochilando em uma viatura nas proximidades da Arena da Amazônia, cujo policiamento é feito pelo Comando de Policiamento da Área (CPA) Centro-Sul, e afirmou que eles já foram identificados. No entanto, os PMs tiveram seus nomes preservados. 

Nilo Corrêa ressaltou que os soldados não deveriam estar dormindo, pois estavam em horário de serviço, o que configura uma transgressão disciplinar. “Somos um serviço essencial e não podemos vacilar. Nessa situação, eles estavam vulneráveis a qualquer ação e poderiam ser surpreendidos”, declarou o comandante. Até ontem a tarde, os militares ainda não haviam se apresentado à companhia, localizada na CSU do Parque 10. 

Questionado sobre a carga horária de serviço dos PMs, que poderia ter motivado a dormida e que, ironicamente, foi uma das pautas de reivindicação na manifestação dos praças no início desta semana, o comandante explicou que não há sobrecarga de trabalho e que os pedidos deles têm sido atendidos.



“Nós estamos trabalhando agora com uma escala provisória de 12 horas por um dia de folga e mais 12 horas por dois dias de folgas, até que chegamos a um consenso do que seja melhor e mais produtivos”, explicou. 

Ainda segundo o comandante, os militares chegaram a receber voz de prisão, mas de acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Militar a transgressão não configura crime militar. Por isso, a conduta dos militares vai ser investigada através de um processo administrativo. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.