Publicidade
Manaus
Manaus

Policiais são presos após pedirem dinheiro para liberar mulher que dirigia sem habilitação

A reportagem apurou que os PMs - um sargento e dois soldados - receberam uma televisão para liberar a moça; caso já está sendo investigado pela corregedoria 30/12/2015 às 18:44
Show 1
PMs presos são lotados na 6ª Cicom
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Três policiais militares lotados na 6ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foram presos em flagrante por extorsão, o famoso “guaraná”, contra uma mulher não identificada na noite da última segunda-feira (28). Um sargento e dois soldados foram autuados pelo crime e encaminhados para o Batalhão de Guardas da Polícia Militar, no bairro Nova Cidade.

As informações são do capitão Wallasson Lira, comandante da 6ª Cicom. De acordo com ele, os policiais que são do seu batalhão praticaram o delito durante uma abordagem policial. Os três estavam fardados e de serviço no segundo turno da última segunda-feira, que inicia às 19h e encerra às 7h de ontem (29). Por telefone, o capitão não soube dar mais detalhes sobre como foi o ocorrido.

“Eu não sei os detalhes sobre o caso e nem como foi a prisão, mas já está na Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD) e sendo acompanhado de perto pelo Comando Geral da Polícia Militar”, informou.

A vítima, uma mulher não identificada, foi quem registrou a queixa em uma delegacia da capital. O bairro e a rua não foram revelados.

OUTRA VERSÃO

Uma informação não oficial recebida por uma fonte do MANAUS HOJE era de que os policiais teriam recebido uma televisão para liberar a moça, que estava sem habilitação. A informação chegou ao conhecimento do capitão Wallasson Lira, mas o comandante não afirmou a veracidade da mesma.

De acordo com Lira, todo o procedimento de investigação e apuração dos fatos está sendo feito pela Diretoria de Justiça e Disciplina (DJD) e acompanhado de perto pelo Comando Geral da Polícia Militar.

Em nota oficial enviada ao MANAUS HOJE, a corporação informou que o coronel Marcus Frota, comandante da Polícia Militar, não aceita comportamento de policiais que não honram a farda da instituição e reafirmou que o compromisso institucional da PM é de proteger e servir à sociedade.

Ainda conforme a nota enviada pela assessoria de imprensa da PM, o coronel Marcus Frota, quando ficou sabendo do caso, acionou imediatamente o setor de Justiça e Disciplina para averiguar os fatos.

A reportagem entrou em contato com a DJD, mas nenhuma informação foi passada pelo setor que investiga o caso. O comandante da 6ª Cicom informou que tanto os policiais envolvidos na questão, quanto a vítima, serão ouvidos. “Caso seja constatada a prática irregular dos militares, o procedimento será feito pelo DJD”, afirmou Lira. 

Publicidade
Publicidade