Publicidade
Manaus
ZONA CENTRO-OESTE

Policial é preso novamente após tentar extorquir jovem que vendia celular pela OLX

O investigador Josino Paixão de Albuquerque Tinoco, 58, e Edilson Ferreira Lima Junior, 19, haviam sido presos em maio deste ano por roubo a motorista da Uber 11/07/2018 às 20:14
Show pc
Foto: Divulgação
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Em menos de 60 dias, o investigador da Polícia Civil, Josino Paixão de Albuquerque Tinoco, 58, foi preso novamente, e desta vez pelo crime de concussão, conhecido como extorsão.  O policial usou uma viatura caracterizada da instituição para extorquir, na manhã desta quarta-feira (11),  um autônomo de 27 anos. O caso aconteceu na rua Maracanã, no bairro Redenção, Zona Centro-Oeste de Manaus. 

Além do investigador foi preso também Edilson Ferreira Lima Junior, 19. Ele e o policial já tinham sido presos em maio deste ano por roubo a um motorista da Uber, no conjunto Manoa, bairro Cidade Nova, Zona Norte da capital amazonense. Os dois foram soltos em audiência de custódia no dia seguinte e, hoje por volta das 10h, foram presos novamente tentando arrancar dinheiro de um homem.

De acordo com uma fonte da Polícia Civil, a vítima, de 27 anos, anunciou um celular no aplicativo  OLX e acabou recebendo ligação do investigador da polícia. Segundo a fonte, o policial exigiu nota fiscal da vítima e, como não tinha, foi ameaçado de ser preso por receptação. Tudo indica que os dois entraram em contato com a vítima, marcando horário e local para receber possivelmente uma quantia em dinheiro.

Porém, a vítima acionou policiais civis do 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e informou que achava que estava sendo ameaçado por pessoas que se passavam por policiais. Segundo a fonte da Polícia Civil, que preferiu manter o nome em sigilo, para a surpresa dos próprios agentes, o principal suspeito do crime era o investigador, que ainda estava na viatura do 9º DIP, unidade em que é lotado.

Foi dada a voz de prisão em flagrante para os dois, que em seguida foram encaminhados para o 10º DIP. Segundo a fonte, o investigador se manteve em silêncio, porém Edilson Lima Júnior confessou a intenção de cometer o crime. O valor que era solicitado pelos dois não foi divulgado. Segundo a assessoria da Secretaria de Segurança Pública, nesta quinta-feira será analisada a possibilidade de afastamento do investigador.

A SSP-AM informou ainda que o policial civil já possui um processo administrativo na Corregedoria. Os dois devem ser encaminhados para uma audiência de custódia e devem ficar à disposição da Justiça.

Publicidade
Publicidade