Publicidade
Manaus
Manaus

Policial militar suspeito de matar homem com cinco tiros é preso, nesta quarta-feira (21)

Segundo a esposa da vítima, o companheiro foi morto no momento em que saiu para comprar lanches. Ela contou que o policial simulou que estava sendo assaltado e, após atirar no marido dela, deu um tiro no próprio braço e fugiu. Na fuga, ele deixou cair o documento de identidade militar 21/10/2015 às 16:18
Show 1
Caso corre em segredo de Justiça
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Policiais civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) cumpriram, na tarde de hoje (21), o mandado de prisão em desfavor do policial militar Obede da Silva Amazonas, 27. Ele é suspeito de matar com cinco tiros Aiub Nazaré, 36, no dia 26 de Setembro deste ano.

O crime ocorreu na rua das Oliveiras, na comunidade Nossa Senhora de Fátima, bairro Novo Aleixo, Zona Norte. O policial militar saiu nesta tarde pela porta da frente da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), no Jorge Teixeira, Zona Leste, acompanhado de investigadores da especializada e PMs, que o conduziram até o Batalhão de Guarda da Polícia Militar, no bairro Monte das Oliveiras, onde ficará preso à disposição da Justiça.

De acordo com o delegado Ivo Martins, titular da DEHS, o PM manteve a mesma versão, alegando que sofreu um assalto e reagiu atirando contra vítima. A família contesta e o acusa de ter matado Aiub e de ter simulado um roubo, para justificar a ação. Martins informou que o processo corre em segredo de justiça e que não poderia dar muitas informações.

Versão da família

Segundo a esposa da vítima, Valmira Souza, o policial simulou que estava sendo assaltado e, após atirar contra Aiub, deu um tiro no próprio braço e fugiu. Na fuga ele deixou cair o documento de identidade militar.

De acordo com Valmira, o companheiro estava indo atrás dela, no momento em que saiu para comprar um lanche para eles. "Ele pediu para comprar um kikão e em seguda saiu atrás de mim. Logo depois ouvi os tiros e quando vi ele estava caído. Havia muita gente no local e muitos viram que esse policial o matou", disse à época.

Publicidade
Publicidade