Publicidade
Manaus
Manaus

Polpas de frutas eram vendidas sem higiene básica em uma distribuidora de Manaus

Devisa interditou empresa distribuidora de polpas de frutas que funcionava na avenida Abiurana, no Distrito Industrial 27/05/2015 às 09:53
Show 1
Falta de higiene foi determinante para a interdição e multa aplicada pela Devisa na empresa distribuidora de polpas
ISABELLE VALOIS Manaus

Responsável por abastecer quase toda a capital com polpas de frutas por mais de dez anos, a distribuidora Naldo Frutas, localizado na avenida Abiurana, Distrito 1, Zona Leste, foi interditada ontem, pelo Departamento de Vigilância Sanitária (Devisa), após constatarem condições precárias de higiene.

Após denúncia de que a distribuidora não tinha se quer uma pia para os funcionários realizarem a própria higienização, a Devisa enviou uma equipe para verificar os fatos e constatou outras irregularidades,

De acordo com a chefe de operação de lacramento da Devisa, Luciana Fares, os fiscais do órgão detectou que a produção de polpa é realizada em condições precárias de higiene que vão desde a produção até o armazenamento.

“Os fiscais verificaram que na área de produção das polpas no meio da produção há a presença de animais. A matéria prima é misturada com o material acabado e outras irregularidades”, disse.

Outro problema sério que a Devisa verificou foi a falta de armazenamento. “A polpa precisa ser conservada em um local apropriado e congelada. No caso da distribuidora, não há um controle de temperatura, pois não existe um termômetro para confirmar que o material fabricado está conservado de forma correta”, explicou.

Conforme Luciana, todos os funcionários trabalham de uniforme, porém não há higienização do mesmo. “Além dos funcionários não terem local para realizar o asseio, os uniformes são sujos e demonstram que por um bom tempo não são lavados”, reforçou.

Na fiscalização, a Devisa descobriu que a distribuidora, mesmo com mais de dez anos de funcionamento, não possui a licença sanitária e nem registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Depois da notificação, os fiscais da Devisa lacraram e interditaram a distribuidora por tempo indeterminado.

O proprietário, identificado pelos técnicos apenas como Naldo, foi orientado a procurar a sede da Devisa para verificar quais os procedimentos que devem ser tomados para poder reabrir a distribuidora em condições básicas de higiene.

Dez funcionários tiveram que largar o trabalho no momento do lacre. O proprietário da estabelecimento preferiu não se pronunciar sobre o ocorrido e o futuro do empreendimento.

Disk Visa

O Departamento de Vigilância Sanitária (Devisa) informou para população que tenha presenciado qualquer irregularidade na situação de higienização, pode denunciar no Disk Visa 08000920123, de segunda-feira a sexta-feira no horário de 8h às 17h (horário comercial).

Publicidade
Publicidade