Sábado, 20 de Julho de 2019
Manaus

Ponta Negra reabre para banhistas após ficar 21 dias interditada

Apesar da liberação, o banho só será permitido somente até às 17h e é proibido levar comida para a praia, garrafas ou qualquer objeto de vidro ou cortantes, o uso de bebidas alcoólicas por menores, e animais na areia



1.jpg Ponta Negra reabre para banhistas após ficar 21 dias interditada
18/05/2013 às 18:34

Após ficar 21 dias interditada, após a constatação de jacarés próximos a margem do rio, a praia da Ponta Negra reabrirá completamente aos banhistas neste domingo (19). Porém os frequentadores do local precisam tomar alguns cuidados e ficar atentos às normas de segurança e de educação no uso da praia.

Uma das dicas mais importantes é no caso de se ver um jacaré, não se aproximar do animal e avisar imediatamente o Corpo de Bombeiros ou Guarda Municipal, PM ou fiscal do Implurb que estarão presentes no local.

A extensão da praia foi interditada após alguns banhistas que estiveram presentes na praia no dia 28 de abril, avistarem três jacarés nadando no meio do rio Negro. O Corpo de Bombeiros sinalizou e solicitou que os banhistas saíssem da água.

Recomendações

O Corpo de Segurança Permanente da Ponta Negra, antes de fazer a reabertura ao banho, fará ronda nas águas, reforçando a presença de Bombeiros no rio, em lanchas e jet-sky.

“Vamos reforçar a segurança e o monitoramento tendo em vista que os jacarés estão em seu habitat e o que deve ser evitado é que os animais se aproxime da população. Caso algum jacaré seja avistado, o Corpo de Bombeiros está autorizado pelos órgãos competentes para fazer a captura e a soltura dele em outro ponto do rio”, explica o secretário-chefe do Gabinete Militar, coronel Fernando Farias. Segundo Farias, a população terá papel importante, respeitando as regras de uso da praia e mantendo distância de animais, caso eles apareçam.

Normas

O banho só será permitido somente até às 17h e é proibido levar comida para a praia, garrafas ou qualquer objeto de vidro ou cortantes, o uso de bebidas alcoólicas por menores, e animais na areia.

Segunda opção saiu ‘cara’

Os banhistas que procuram refúgio nos balneários do Rio Negro ou do Tarumã durante a interdição da Ponta Negra pagaram um pouco a mais pelo lazer. Para entrar em locais como a Prainha, a Praia Dourada ou nos Flutuantes Vitória Régia e da Tia (todos no Tarumã), o usuário desembolsou, em média, R$ 5 por pessoa. Como a entrada de comida e bebida é proibida (nos que autorizam, é cobrada uma taxa adicional, de até R$ 35), o frequentador gastou bem mais.



Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.