Sexta-feira, 19 de Julho de 2019
Manaus

População da Zona Leste de Manaus revoltada com mais uma paralisação no transporte coletivo

Trabalhadores da Empresa Global Green cruzaram os braços e usuários dos coletivos são surpreendidos com a greve. Passageiros revoltados fecharam a rotatória do São José impedindo do tráfego



1.jpg Trânsito completamente parado na Bola do São José por conta do fechamento da via pelos passageiros enfurecidos
07/11/2014 às 09:53

Rodoviários da empresa Global Green paralisaram as atividades desde as primeiras horas desta sexta-feira (7) prejudicando cerca de 250 mil usuários do transporte coletivo urbano da capital com falta de ônibus. Cerca de 240 ônibus ficaram parados na garagem da empresa pegando a população da Zona Leste da capital de surpresa, causando grande revolta dos usuários. Pelo menos 300 pessoas em um ponto de ônibus próximo a Bola do São José impediram a passagem dos veículos em forma de protesto por mais uma paralisação.

Segundo informações dos empregados da Global Green, a greve se dá por conta do não pagamento do dissídio reivindicado pela categoria. Mesmo ainda estando em tramitação na Justiça Trabalhista, os trabalhadores resolveram cruzar os braços sem aviso prévio a população que acabou sendo prejudicada.


Neste momento o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) se reúne com os representantes dos rodoviários tentando resolver a paralisação irregular.

Protesto e revolta

Os usuários do transporte coletivo que foram pegos de surpresa com a paralisação dos rodoviários, em forma de protesto resolveram fechar o Terminal 5, na Zona Leste da capital. Em um ponto de ônibus nas proximidades da Bola do São José, cerca de 300 passageiros revoltados por estarem perdendo o dia trabalho decidiram fechar a Alameda Cosme Ferreira impedindo o trânsito de veículos na via.


A polícia foi acionada e está tentando acalmar os ânimos da população que está indignada com a greve surpresa imposta pelos rodoviários da Global Green. O trânsito no local que costuma ser carregado nas primeiras horas do dia está ainda mais complicado por conta da ira dos passageiros.

Posição do sindicato

O vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários de Manaus, Josildo Oliveira, se pronunciou sobre a paralisação dos trabalhadores da Global Green na manhã desta sexta, dizendo que se trata de um grupo dissidente ao movimento da categoria. “Esse é um grupo que acha que pode fazer greve de qualquer jeito e a qualquer hora. Eles acham que vão se dar bem. Não vamos apoiar esse tipo de coisa”, afirmou Oliveira.

Segundo o vice-presidente, os trabalhadores que cruzaram os braços estão sendo comandados por uma comissão criada pelo prefeito Artur Neto para negociar diretamente com os donos de empresa, à revelia do sindicato. Ainda de acordo com Josildo, a reivindicação dos grevistas está sendo julgada nesta sexta no Tribunal de Justiça do Trabalho e não motivo algum para a paralisação.

“Queria ver o prefeito (Artur Neto) ir lá na garagem resolver a questão. Já que quem está liderando isso (paralisação) é a tal comissão criada por ele. Se fossemos nós do sindicato, ele estaria chamando a gente de baderneiros. Mas como é a turma dele, ele nem aparece lá pra falar nada”, disse Josildo.

“Em relação ao que eles estão reivindicando na paralisação, está sendo julgado agora. Estou aqui no Tribunal justamente acompanhando o julgamento do dissídio coletivo, que era pra ter acontecido em maio e foi remarcado para hoje. Eles alegaram que isso (dissídio) não estava na pauta. Não há motivo algum para terem feito isso (paralisação)”, concluiu o sindicalista.

A prefeitura ainda não se pronunciou sobre a greve dos rodoviários. 

*MAIS INFORMAÇÕES EM INSTANTES

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.