Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
Sem vaga

População espera quase 1h para estacionar no Centro de Manaus

Mesmo com a liberação de vagas, estacionar ou andar a pé no Centro de Manaus nesta época do ano são verdadeiros desafios



centro.JPG Manaustrans liberou 160 vagas de estacionamento ao longo da avenida Sete de Setembro, mas medida não surtiu efeito (Aguilar Abecassis)
14/12/2016 às 08:46

Conseguir uma vaga de estacionamento virou teste de paciência no Centro de Manaus. O funcionário público Aroldo da Silva Carneiro, 54, precisou esperar mais de 40 minutos para conseguir estacionar a motocicleta dele nas proximidades da avenida Eduardo Ribeiro. Com o aumento da demanda por causa das compras de fim de ano, a tendência é piorar. 

“Eu vim para pagar uma conta, mas isso acabou se tornando um teste de paciência porque não tem onde estacionar na rua. E estacionamento rotativo sai muito caro”, afirmou ele.

No início do mês,  o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) liberou 160 vagas de estacionamento para veículos ao longo da avenida Sete de Setembro,  no entanto, a medida não surtiu efeito, já que consumidores dizem que as vagas são insuficientes para suprir a demanda. 

A fisioterapeuta Silvana Cavalcante, 42, optou por, nesse período de festas, ir ao Centro somente de táxi ou de carona para evitar transtornos. “Assim, eu evito o estresse porque não tem vaga suficiente para todo mundo estacionar. Então,  é melhor nos poupar do desgaste”, disse. 

Segundo os agentes Manaustrans que atuam no local, a prioridade nesse período é dar fluidez ao trânsito, por isso,  a alternativa é evitar ir de carro para a área comercial ou deixar o veículo em estacionamentos rotativos. “A tendência é que esse fluxo aumente e estamos dando prioridade para idosos e pessoas com deficiência”, explicou o agente Wildes Júnior. 

A segurança pública também é uma questão que preocupa quem passa pela área comercial. Ontem, por exemplo, A CRÍTICA flagrou o momento em que três pessoas (duas mulheres e um homem) foram presos, após terem furtado vários objetos de uma loja na rua Marechal Deodoro. O trio foi levado para o 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP). 

Mesmo com a Polícia Militar tendo reforçado o policiamento com viaturas e homens a pé, tem gente que ainda sente medo de andar por ruas como a Marechal Deodoro, uma das mais movimentadas. “Não dá para se sentir segura. A todo o momento, a gente tem que ficar de olho em que está passando perto da gente. Não podemos ter descuido, se não podemos ser vítima de roubo”, disse a autônoma Gleiciane da Silva, 38. 

De acordo com o tenente Samir Ventura, da 24ª Cicom, é importante que as pessoas tenham atenção redobrada. Segundo ele, até o fim do mês, cerca de 60 policiais militares estarão infiltrados nas ruas do Centro e fazendo o policiamento a pé para garantir a segurança da população. 

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.