Publicidade
Manaus
PATRIMÔNIO

População reclama de atraso nas obras de revitalização de praças no Centro Histórico

Obras da praça Tenreiro Aranha, praça da Matriz e praça do Relógio estavam previstas para serem concluídas no fim do ano, porém, ausência de recursos deve atrasar a entrega dos espaços 18/10/2016 às 05:00
Show pra a
Revitalização da praça do Relógio segue em ritmo lento (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Luana Carvalho Manaus (AM)

Quem trabalha ou passa diariamente pelo Centro de Manaus nota a lentidão nas obras de revitalização de pelo menos três praças da área: a Tenreiro Aranha, que inclui a reforma do Pavilhão Universal; a 15 de Novembro, a praça da Matriz, e a praça do Relógio.

Comerciantes reclamam da demora na entrega das obras, que integram um  conjunto de dez outras incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas 2,  um projeto do Governo Federal tocado pela Prefeitura de Manaus, com previsão de conclusão de todas no final deste ano.

Porém, como as obras passaram um tempo paradas por conta do atraso dos recursos, que previa o repasse de aproximadamente R$ 7 milhões para financiar a revitalização dos prédios do Centro histórico, moradores e comerciantes temem que as obras atrasem ainda mais.

“Agora eles voltaram a trabalhar, mas ficou muito tempo parado, com esses tapumes reduzindo o espaço para circulação”, comentou o vendedor ambulante Jorge Vidal Soeiro, 51, que trabalha ao lado das obras da praça Tenreiro Aranha, que antes abrigava artesãos.

A revitalização da praça Tenreiro Aranha completou um ano em agosto deste ano. Já a praça da Matriz começou em 2014. “A gente tem consciência de que estas obras eram necessárias para embelezar nosso Centro, que já estava destruído. Mas nos espanta a demora para a conclusão. Não deveria levar tanto tempo assim”, comenta a assistente social Maiara Azevedo, 36, que faz compras semanalmente no Centro.

No último sábado também foi possível ver trabalhadores na praça do Relógio, apesar de poucos. Os homens estavam trabalhando na revitalização do relógio. Porém, é nítido que praticamente todo o piso da praça não está pronto.

Os projetos de revitalização do PAC Cidades Históricas 2 se estendem ainda para o entorno do mercado municipal Adolpho Lisboa, que inclui as ruas dos Barés, Barão de São Domingos, Miranda Leão, Travessa Tabelião Lessa, avenida Manaus Moderna e da Praça do Mercado.

Avanços até outubro

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas 2 informou que na obra na Praça da Matriz está em execução a etapa do trecho que compreende a reabertura da via em paralelepípedo ao lado do Relógio Municipal.

O trecho possui aproximadamente 250 metros de extensão e segue da área com tapumes até o obelisco. Para a liberação da via, o tapume da área será recuado, deixando somente os trabalhadores das obras de requalificação dentro da praça.

Quanto ao projeto do Pavilhão Universal, este está em fase de preparo para licitação. Na praça Tenreiro Aranha foi recentemente concluída a relocação dos ambulantes para que seja feito a pavimentação do entorno da praça. A previsão é que tanto o trecho da Matriz quanto a Praça Tenreiro Aranha sejam entregues até o fim do mês.

Publicidade
Publicidade