Publicidade
Manaus
Manaus

População sofre com a falta de paradas de ônibus em dias de chuva na Zona Norte

Na avenida Torquato Tapajós há uma parada bem em frente à comunidade Parque São Pedro, Zona Oeste, onde a cobertura foi improvisada pelos moradores 20/05/2015 às 11:27
Show 1
Em frente à comunidade São Pedro moradores improvisaram uma estrutura
MANAUS HOJE ---

Usuários do transporte coletivo estão insatisfeitos com a situação de algumas paradas de ônibus em Manaus. Eles afirmam que a sensação é de abandono e de insegurança. Na avenida Torquato Tapajós há uma parada bem em frente à comunidade Parque São Pedro, Zona Oeste, onde a cobertura foi improvisada pelos moradores. A estrutura é feita de madeira e a calçada está toda quebrada, restando um pequeno espaço para o pedestre se apoiar.

Segundo a dona de casa Raiara Santiago, 22, quando chove não há como ficar no local porque o barro mistura com a água da chuva e forma as poças de lama. A dona de casa Terezinha Oliveira, 48, conta que há três anos as pessoas da comunidade mudaram a parada de lugar, por conta de um acidente que aconteceu com a filha dela, e depois disso não apareceu ninguém da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) no local.

Em outro abrigo, no conjunto Viver Melhor, bairro Santa Etelvina, Zona Norte, a situação não é diferente. Sem cobertura e placa indicando a parada de ônibus, no local também não há calçada. O autônomo Moisés Barreto, 30, explica que é muito difícil sair para trabalhar e chegar limpo no emprego quando chove, pois sem a infraestrutura adequada, ele fica na lama esperando o transporte coletivo.

Em nota, a Superintendência Municipal de Transportes urbanos (SMTU) informou que os casos onde há apenas placas nas paradas é devido a falta de espaço suficiente na calçada para levantar uma estrutura de ferro. Sobre as paradas mencionadas na matéria, o órgão informou que as situações serão avaliadas, pois não havia denúncias à respeito dos fatos. Já a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) informou, por meio de nota, que só pode atuar nas calçadas e estruturas depois de sinalizada pela SMTU.

Publicidade
Publicidade