DECISÃO

Por 14 votos a 1, CNJ decide manter João Simões na direção da Esmam

A decisão põe fim a uma série de idas e vindas no processo de nomeação do desembargador João Simões para o cargo

Portal A Crítica
04/08/2020 às 20:36.
Atualizado em 10/03/2022 às 06:18

(Foto: Divulgação)

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu hoje (4), durante sessão plenária, que o ato de nomeação do desembargador João Simões para o cargo de diretor da Escola Superior da Magistratura do Amazonas (Esman) é legítimo. O placar de 14 votos favoráveis a decisão do presidente do Tribunal de Justiça Domingos Chalub, contou com voto do ministro Dias Toffoli. Apenas 1 voto foi contrário.

A decisão põe fim a uma série de idas e vindas no processo de nomeação do desembargador João Simões para o cargo. A nomeação foi contestada pelo desembegardor Yedo Simões, que ao deixar a presidência do TJAM, assumiria atuomaticamente a direção da Esman, de acordo com ele.

Em julho, a conselheira do CNJ Maria Cristiana Amorim Ziouva, suspendeu a nomeação de João Simões e determinou a posse do ex-presidente do TJAM, Yedo Simões, para assumir o cargo.

 

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por