Publicidade
Manaus
Manaus

Por falta de pagamento, Hospital Universitário Getúlio Vargas pode ficar sem hemodiálise

Funcionários ameaçam paralisar o serviço e pode colocar em risco a vida de quem faz tratamento de hemodiálise 02/03/2016 às 19:52
Show 1
Trabalhadores da empresa Unisol alegam o atraso de pagamento e de vale-transporte e que estão sem condições de trabalhar
Marcela Moraes Manaus (AM)

CONFIRA VÍDEO DA MANIFESTAÇÃO

Pacientes que precisam realizar o serviço de hemodiálise no Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), no bairro Praça 14, Zona Sul de Manaus, temem pela paralisação dos serviços no hospital. Tudo porque os funcionários da Fundação de Apoio Institucional Rio Solimões (Unisol), que realizam as hemodiálises e também a assistência aos pacientes nas enfermarias, estão ameaçando parar os serviços por falta de pagamento.

O paciente Marcone de Araújo, 49, faz hemodiálise há três anos no hospital. Ele afirma que assim como ele, muitos outros pacientes serão prejudicados com a paralisação dos serviços, no entanto, defende a reivindicação dos direitos dos trabalhadores.

“Nós seremos os maiores prejudicados se os serviços foram paralisados porque necessitamos estar aqui. Se os serviços pararem as atividades, alguns pacientes podem até morrer. Aqui é o único lugar que podemos fazer os serviço com mais frequência porque no (Hospital e Pronto-Socorro) 28 de Agosto, Platão Araújo e no João Lúcio só fazem a hemodiálise de 15 em 15 dias e no meu caso, não posso ficar tanto tempo sem fazer. Nós somos muito bem tratados aqui e é direito desses funcionários receberem os seus salários, eles estão trabalhando”, frisou.

Ana Cláudia Colares é acompanhante de dona Maria Cordeiro uma senhora de 65 anos que faz hemodiálise de três em três dias no hospital. Ela teme pela saúde da aposentada seja e também apoia a reivindicação dos funcionários.

“A dona Maria depende e precisa desse serviço de hemodiálise. Estou como acompanhante e vejo como é fundamental este serviço para ela, mas sou a favor que esses trabalhadores tenham uma resposta e sejam respeitados pelo trabalho que realizam aqui, assim como nós temos direito aos serviços de saúde que infelizmente é precário, esses funcionários precisam receber os seus salários”, disse

A técnica de enfermagem Graciete Mouzinho informou que os funcionários estão com salários atrasados há dois meses. Eles são do projeto da Nefrologia/Hemodiálise do Hospital Getúlio Vargas. Eles estão ameaçando paralisar os trabalhos porque com a falta de pagamento, estão sem vale-transporte e sem condições de irem trabalhar. “O serviços que serão paralisados é de hemodiálise e também a assistência aos pacientes nas enfermarias. Mas nós não temos mais como trabalhar sem pagamento porque até o vale-transporte não estamos recebendo”, enfatizou a funcionária.

Sindicato foi convocado a apoiar a manifestação

Conforme informações do coordenador do Sindicato de Trabalhadores de Saúde Privada, Ailton Albuquerque,  o sindicato foi convocado pelos trabalhadores da Unisol que prestam serviços de hemodiálise no Hospital Getúlio Vargas, para apoiar a reivindicação dos funcionários que estão pleiteando os seus salários.

“O próprio presidente da Unisol nos informou que ainda não recebeu o repasse que é feito pelo Governo do Estado para a realização do pagamento dos funcionários. Assim, provavelmente haverá paralisação por parte dos funcionários que estão sem dinheiro até para o vale transporte e os usuários do Sistema de Saúde serão os maiores prejudicados”, afirmou.


Publicidade
Publicidade