Publicidade
Manaus
Manaus

Portões para prova do Enem fecham e muitos candidatos ficam de fora, em Manaus

O encerramento da entrada ocorreu às 11h nas escolas da capital amazonense. Mesmo com muitos avisos feitos pelos organizadores da prova para chegarem com antecedência aos locais do teste, muitos estudantes acabaram se atrasando e perderam a chance deste ano 08/11/2014 às 12:27
Show 1
Portões dos locais das provas do Enem fecharam às 11h e muita gente ficou de fora
ACRITICA.COM* Manaus (AM)

Quem não conseguiu chegar a tempo nos locais de teste está fora da disputa por uma vaga no ensino superior gratuito, neste ano. Como ocorre em todas as edições, muita gente chegou atrasada para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcado para este sábado (8) em escolas de diversas Zonas de Manaus. Os portões abriram exatamente às 10h e, às 11h, os organizadores da prova fecharam as entradas, deixando o lamento para os retardatários.

Pelo menos cinco pessoas chegaram atrasadas na Escola Estadual Professor Belarmino Lindoso, na Cidade Nova, na Zona Norte de Manaus, um dos principais locais de teste do Enem na região. Conhecido como “Quarentão”, o colégio fechou seus portões pontualmente, frustrando a expectativa de estudantes que acabaram se atrasando e deixaram de fazer o exame.

A estudante Paula Caroline de Oliveira, de 20 anos, foi uma das candidatas que chegou atrasada à escola onde faria a prova. Segundo a aluna - que tentaria fazer o teste pela segunda vez - o atraso se deu por conta da demora do transporte coletivo. Moradora do bairro Nova Cidade, na Zona Norte da capital, a moça chegou ao local de mototáxi, mas mesmo assim não conseguiu chegar a tempo de entrar na sala de aula.


“O ônibus demorou muito. Fiquei esperando tempo demais e resolvi pegar um mototaxi. Estou triste por que estudei muito e estava preparada para a prova. O que resta agora é esperar pelo Enem do ano que vêm para tentar entrar na faculdade”, lamentou a estudante, que sonha ingressar no curso de Enfermagem de uma universidade pública do Estado.

Atraso e revolta

Um dos candidatos que estava muito exaltado e não quis se identificar, ainda tentou argumentar com os responsáveis pela organização da prova. Ele batia no portão ameaçando invadir o local e afirmando, erroneamente, que em todos os locais onde teria feito testes havia um prazo de 15 minutos de tolerância. Mesmo com toda a discussão, o candidato ficou de fora e foi mais uma pessoa a perder o exame.

Os candidatos que conseguiram entrar nos locais das provas têm quatro horas para concluir o teste. Cerca de 180 mil estudantes em todo o Amazonas eram esperados para realizar o exame este ano. 


Publicidade
Publicidade