Publicidade
Manaus
Centro

Número de assaltos cresce na área da Praça da Matriz, no Centro da cidade

E a preocupação é que os crimes continuem mesmo após a conclusão das obras, visto que antes havia um Posto de Policiamento Ostensivo (PPO), e agora ninguém sabe se ele retornará ao local 07/03/2017 às 09:58 - Atualizado em 07/03/2017 às 09:59
Show centro3
(Foto: Márcio Silva)
acritica.com Manaus (AM)

Desde que o entorno da Praça 15 de Novembro, mais conhecida como Praça da Matriz, no Centro, foi isolado para reforma, em 2015, os assaltos aumentaram na região, de acordo com os lojistas e consumidores. E a preocupação é que os crimes continuem mesmo após a conclusão das obras, visto que antes havia um Posto de Policiamento Ostensivo (PPO), e agora ninguém sabe se ele retornará ao local.

O universitário Thomas Silveira, 22, foi vítima da ação dos criminosos em fevereiro deste ano e disse que não teve a quem recorrer. Os ladrões levaram seu celular. “Eles chegaram do meu lado, colocaram uma faca na minha cintura e pediram o celular, que estava no bolso da frente da minha calça. Na hora, tinha pouca gente passando na rua e fiquei com medo de reagir. Eles pegaram o aparelho e sumiram rápido”, contou.

A vendedora Aline Barreto, 23, afirmou que as vendas na loja onde trabalha caíram muito por causa da insegurança. Conforme ela, os assaltos se tornaram frequentes, espantando os consumidores. “Não tem um dia que não ouvimos alguém reclamar que foi assaltado. Os assaltantes agem a luz do dia e não se intimidam porque não tem policiamento. Isso fez com que nossos clientes sumissem”, relatou.

O ambulante Manoel Silva, 54, observou que quando havia um PPO ao lado da Praça da Matriz, ocorriam assaltos no Terminal da Matriz, mas em menor quantidade. Hoje, a situação é outra totalmente diferente e o pior de tudo é que as vítimas têm que andar muito atrás da polícia se quiser fazer Boletim de Ocorrência (BO). “Foi como se as pessoas tivessem ficado desprotegidas sem o posto policial aqui”, disse.

A reportagem entrou em contato com a Polícia Militar para saber sobre o policiamento na área central e se o PPO seria instalado novamente na Praça da Matriz, como antes, mas até o fechamento desta edição não houve retorno. A instituição também não informou como está atendendo a demanda do entorno da praça e do Terminal da Matriz desde que o Posto de Policiamento Ostensivo foi retirado do local.

Publicidade
Publicidade