Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
Manaus

Postos de combustíveis de Manaus já reajustaram os preços

Em Manaus, preço do litro da gasolina comum varia de R$ 3,28 a R$ 3,60 entre os postos. Consumidor tem que pesquisar



1.gif Postos começam a repassar ao consumidor elevação nos tributos promovida pelo Governo Federal em janeiro
03/02/2015 às 09:22

O aumento do combustível chegou, no último domingo (1º), ao consumidor. Porém ainda é possível encontrar alguns postos com os valores antigos. A tributação incidente sobre a gasolina e o diesel é de aumento em R$ 0,22 para a gasolina e R$ 0,15 para o diesel. Em Manaus, o litro varia de R$ 3,28 a R$ 3,60 e R$ 2,75 a R$ 2,95, dos respectivos produtos.

Conforme o decreto presidencial 8.395, publicado no Diário Oficial da União (DOU) do último dia 29 de janeiro, o reajuste é resultante do aumento dos tributos Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide).

“É um absurdo, uma falta de respeito com a população”, disse Jeová Magalhães, 54, no momento em que abastecia o carro no posto Atem localizado na avenida Grande Otelo, no Parque Dez, Zona Centro-Sul. “Talvez, se o outro candidato tivesse uma proposta de governo melhor. Temos que agradecer aos eleitores da Dilma”, esbravejou o empresário.

No local escolhido por ele para encher o tanque, a gasolina aumentou para R$ 3,58, enquanto o diesel ficou entre R$ 2,89 (comum) e R$ 2,99 (S10). Alguns quilômetros mais à frente, no mesmo bairro e em um empreendimento com a mesma bandeira — desta vez, na avenida Tancredo Neves —, outros valores: R$ 3,60, R$ 2,86 e R$ 2,95, respectivamente.

“Infelizmente, ficamos à mercê do carro porque o sistema de transporte público não funciona como deveria e pesa no bolso. Esses centavos parecem pouco, mas não são”, afirmou Natanias Carlos da Silva, 31, pego de surpresa pelo reajuste. “Eu gastava R$ 150 por semana com gasolina. Agora, nem vou mais completar o tanque”, lamentou o militar.

Já no posto da Equador, situado na avenida Timbiras, no Parque das Laranjeiras, mesma zona, a gasolina aditivada chegou a R$ 3,60, enquanto a comum está apenas 2 centavos mais barata. No mesmo estabelecimento, o diesel é vendido a R$ 2,85 (comum) e R$ 2,95 (S10). “Todos deveriam ficar 30 dias sem abastecer nesses postos”, declarou Emanuele Cunha, 24.

A assistente contábil é a favor do “jejum” para protestar. Com uma pickup modelo L200, ela e o marido gastavam cerca de R$ 150 semanalmente com diesel a R$ 2,68. “Acho que o manauara aceita tudo. Não podemos simplesmente nos calar”, enfatizou.

‘Reajuste depende dos donos’

De acordo com a frentista Jacqueline Silva, 42, o valor só é repassado aos consumidores após ordem dos donos de cada posto. No caso do lugar onde ela trabalha, da bandeira Shell, na avenida Nilton Lins, no Parque das Laranjeiras, Zona Centro-Sul, não houve aumento. A gasolina é vendida a R$ 3,28 (comum) e R$ 3,42 (aditivada), enquanto o diesel custa R$ 2,75. “Já estamos com estoque novo e fazemos o teste de qualidade se o cliente pedir. Não é gasolina velha ou adulterada. Simplesmente o dono não aumentou”, afirmou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.