Publicidade
Manaus
ESCASSEZ

Postos de Manaus só têm combustível para os próximos dois dias, diz sindicato

Segundo Sindicombustíveis-AM, Manaus já sofre desabastecimento com a greve dos caminhoneiros. Postos pararam de receber combustíveis na manhã de hoje (24) 24/05/2018 às 15:52 - Atualizado em 24/05/2018 às 16:32
Show show  asl4958
Foto: Antônio Lima
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Caso a paralisação dos caminhoneiros continue, o estoque de combustíveis nos postos de Manaus só será suficiente para os próximos dois dias, informou o presidente do Sindicato Estadual do Comércio Varejista de Combustíveis, Derivados de Petróleo, Álcoois, Lubrificantes, Gás Natural Veicular, Biocombustíveis e das Lojas de Conveniência do Estado do Amazonas (Sindicombustíveis-AM), Luiz Felipe Pinto.

Uma manifestação de caminhoneiros na manhã desta quinta-feira (24) fechou a via de acesso à refinaria Isaac Sabbá, no Distrito Industrial, na Zona Sul. Eles protestam contra os recentes aumentos do diesel do País. Motoristas de aplicativos e taxistas também integraram o movimento relatando prejuízos após constantes reajustes da gasolina.

De acordo com Luiz Felipe Pinto, do Sindicombustíveis-AM, o cenário atual dos postos da cidade é crítico. Ele explicou que somente os empresários possuem dados sobre preços e estoque, entretanto, ele estimou que o combustível guardado hoje nos postos servem apenas até o sábado (26). “Os postos estão ficando desabastecidos. Acredito que o estoque existente agora seja apenas para dois dias. Se começou hoje de manhã, até lá não vai atender mais”, informou. Ele disse ainda que os estabelecimentos pararam de receber os combustíveis na manhã de hoje.

O presidente do sindicato não soube informar a quantidade de postos em piores condições e esclareceu que a entidade não tem autonomia para resolver o problema. “A greve é dos caminhoneiros. Tem combustível nas distribuidoras, mas não está mais chegando nada. Estamos acompanhando a situação nos outros estados e aqui o cenário pode ficar pior ainda”.

Ônibus podem parar

A falta de combustíveis também já afeta o transporte público na capital amazonense. Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram), caso a greve dos caminhoneiros continue a frota dos ônibus poderá operar parcialmente nesta sexta (25) e paralisar totalmente a partir de sábado (26), devido à falta de combustível para abastecer os coletivos.

Publicidade
Publicidade