Segunda-feira, 22 de Julho de 2019
SEM POLICIAMENTO

Praça da Matriz registra sumiço de peças do gradil; população reclama de insegurança

Pontas de lanças metálicas das grades que protegem a praça foram roubadas e servem como armas nos constantes assaltos ocorridos na região



grade.JPG Foto: Jair Araújo
08/03/2018 às 15:06

Menos de quatro meses após ter sido reinaugurada, a Praça 15 de Novembro, mais conhecida como Praça da Matriz, já está sendo alvo do vandalismo sob “as barbas” do poder público. Um dos exemplos é o desaparecimento de pontas de lanças metálicas das grades que protegem a praça.

Segundo as pessoas que trabalham na área, elas estariam sendo utilizadas como armas nos constantes assaltos ocorridos naquela região. A reportagem do Portal A Crítica constatou a ausência de várias dessas pontas de lanças inclusive nos portões gradeados.

Há mais de 40 anos trabalhando na Matriz, o fotógrafo Jorge Lima, 63, acredita que o poder público municipal deveria colocar segurança 24 horas na praça. “Aqui é área vermelha, e essas pontas de lança servem de arma para os criminosos renderem pessoas, levarem cordões, carteiras e dinheiro das de quem passa por aqui. Não há policiamento. É assalto direto”, reclama ele, que trabalha de 7h às 17h.

Chafariz não foi contemplado

Jorge Lima também questiona a ausência de funcionamento do chafariz da Praça da Matriz, que não foi contemplado na reinauguração do ano passado. Ele também reclama da inexistência de banheiros públicos. “O chafariz não foi inaugurado e a prefeitura esqueceu de colocar vasos sanitários para os turistas e para as senhoras gestantes e idosos. Também não há lixeiras. Temos que amarrar saquinhos de plástico na grade se quisermos jogar alguma coisa. Aqui é a frente da cidade, onde ancoram transatlânticos. Mas, quando chegam aqui, a segurança está na estaca zero”, disse.

Ainda sobre o chafariz, é curiosa a ausência de um dos anjinhos de bronze na decoração da estrutura. “Não adianta colocar uma cerca bonita como essa se não tem vigilantes para olhar o bandido. A lei do bandido é o silêncio e se chama noite. É preciso guardas nessa praça todo tempo”, afirma o aposentado Délcio Pacheco Quintelo.


Chafariz sem o anjinho. Foto: Jair Araújo

Mais problemas na Matriz

O mau cheiro que exala na praça é insuportável: ele é frequente em locais como no tradicional chafariz e nos dois boxes que estão fechados e que ficam localizado ao lado dos boxes destinados à venda de comida. Nesse trecho há uma fedentina que parece ser proveniente de urina. De acordo com os comerciantes que trabalham nas proximidades, é comum também a existência de fezes e urina no local.

As mulheres ouvidas pela reportagem declararam ter medo de andar na Praça da Matriz. “Venho pouco ao Centro, mas tenho muito medo daqui. Já fui assaltada em ônibus e aqui não muda nada”, comentou a autônoma Cleane Melo, 33. “Já vi assaltos aqui. É de dar medo”, conta a estudante Bárbara Souza, 21.

Pontas serão repostas, diz PAC

A assessoria de comunicação do PAC Cidades Históricas esclareceu, via e-mail, que “o furto de pontas de lanças das grades foi detectado pela prefeitura e estas já estão sendo repostas pela construtora responsável pela obra; paralelo a essa ação, e por entender que trata-se de um problema de segurança pública, a coordenação geral do PAC enviou ofício à Secretaria de Segurança Pública (SSP) pedindo reforço no policiamento da praça ao mesmo tempo em que solicitou um efetivo da Guarda Municipal, que já está atuando na mesma, principalmente à noite, com o objetivo de inibir não só o furto das pontas de lança, como também das lâmpadas de led ali instaladas”.


Exemplo de local com fedentina. Foto: Jair Araújo

Sobre o cheiro forte de urina, “infelizmente, trata-se de uma questão cultural”, disse o órgão. “Mas a Guarda Municipal também já foi orientada visando inibir essa ação; ressaltamos que, periodicamente, uma equipe da Secretaria Municipal de Limpeza Pública tem feito lavagens nessas áreas para minimizar o odor”.

Já a reforma do chafariz não estava no escopo da obra de recuperação e revitalização da Praça 15 de Novembro, lembra o PAC. “Na época da aprovação do projeto, o chafariz estava inserido na proposta do Projeto Monumenta, do Governo Federal, que encerrou suas atividades. Mas ainda será restaurado”.

Sobre a estátua do anjinho, o órgão esclareceu que ela “não foi furtada e encontra-se guardada no Paço Municipal, aguardando a restauração do chafariz, para ser devolvida”.

Délcio Pacheco Quintelo


O aposentado Délcio Pacheco Quintelo. Foto: Jair Araújo

“Sempre passo aqui na Praça da Matriz e já prestei atenção no furto das lanças aqui na praça. Isso é um absurdo, é o Brasil onde ninguém é de ninguém e o que está faltando é moral. As pessoas chegam aqui, roubam, é brincadeira. Falta educação. O poder público deveria dar mais atenção a esse local, sem dúvida. Cadê a polícia, os guardas municipais que não estão aqui? Daí os pilantras e bandidos vão nos roubando. E não demora vão quebrando as coisas que já existem. Aqui, nessa Praça da Matriz. é um espetáculo. Poucas praças como essa existem no Brasil. Nunca fui assaltado, mas eu ando com medo”.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.