Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
GUERRA

Praça da Saudade é disputada pelas facções FDN e Comando Vermelho, diz delegado

Criminoso que fez disparos contra bar e matou um homem na última quarta-feira (20) é membro da FDN. Vítima era ligada ao Comando Vermelho, segundo titular da DEHS, Paulo Martins



Bar_da_Pra_a_D20D59A2-954B-4D02-B4AA-8103C7E98000.JPG
Foto: Jander Robson
21/03/2019 às 21:34

Cinco bares, um hotel, duas residências, uma igreja evangélica e um prédio público abandonado compõem o casario da rua Simão Bolívar, no trecho entre a avenida Epaminondas e a rua Ferreira Pena, em frente à Praça da Saudade, um dos espaços mais tradicionais do centro de Manaus, onde há também um terminal de ônibus e grande movimento de pessoas.

Durante o dia, o local, quando os bares estão fechados, aparenta ser tranqüilo; à noite, depois que os bares passam a funcionar, a área se transforma em “praça de guerra” com tiroteios, mortes e tráfico de droga.

Comerciantes do local e moradores preferem não falar sobre as mortes. “Esse local está sendo disputado pelas facções criminosas Família do Norte (FDN) e Comando Vermelho (CV) e não há nada que se possa fazer”, disse o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Paulo Martins.

Segundo informações da polícia, o número de mortos naquela área, nos últimos meses, já passa de cinco. Na noite da última quarta-feira (20), frequentadores dos bares da Simão Bolívar foram surpreendidos com mais um tiroteio. Os disparos partiram de um taxi que passou pelo local atirando em direção aos frequentadores por volta das 21h.

Os tiros acertaram Anderson Silva Andrade, 18, e Alexandre da Costa Braga, 30, que foi baleado e encaminhado ao Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, onde passou por limpeza cirúrgica e segue internado, lúcido e orientado. Anderson morreu e ontem, enquanto aguardavam a liberação do corpo no Instituto Médico Legal (IML), familiares disseram que não sabiam nada sobre o crime.

Ontem, o delegado Paulo Martins disse que a polícia já identificou o autor dos disparos, mas preferiu não revelar a identidade do suspeito. Ele informou que o assassino é integrante da facção Família do Norte (FDN), e o homem que morreu era do Comando Vermelho (CV). Segundo ele, a morte de Anderson foi represália ao homicídio que ocorreu na sexta-feira, na rua Lobo D’Almada, de um membro da FDN identificado como “Gordinho”.

Policiais militares da 24ª Companhia Interativa Comunitária (Com) prenderam ainda na noite de quarta-feira Mario Antônio Cavalcante, 45, suspeito de dar fuga ao atirador na Praça da Saudade - ele dirigia o táxi usado pelo autor dos disparos para fugir.

“A 1ª viatura foi chamada e, no local, recebeu informações sobre as características do autor e do veículo utilizado. Passamos a informação pelo rádio e uma 2ª viatura o localizou em seguida”, informou o comandante da 24ª Cicom, major Franklin Terto.

Crimes se sucedem no local

Segundo o major Franklin, o suspeito Mário Antônio Cavalcante confessou que receberia R$ 1,5 mil para ajudar na fuga do atirador da Praça da Saudade. O preso informou que, após o crime, deixou o autor na Praça da Bandeira Branca, em Aparecida. Ele foi encaminhado à sede da DEHS e preso em flagrante pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio.

De acordo com levantamento da polícia, desde o ano passado tiroteios e mortes vêm ocorrendo na área dos bares da Simão Bolívar. Durante a noite a movimentação é grande e as mesas dos bares chegam a tomar conta de metade da rua. Na madrugada do dia 17 de fevereiro o traficante identificado pelo apelido de “Cebolinha” foi o autor de disparos que mataram Andrey Sampaio da Costa, 25, que estava em um dos bares perto da praça. Ele foi atingido com quatro tiros.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.