Segunda-feira, 22 de Abril de 2019
publicidade
Capturar1.JPG
publicidade
publicidade

IMPASSE

Praça é disputada por dona de terreno particular e moradores da rua no Alvorada

Moradores temem que a proprietária do terreno ao lado da praça, aos poucos, tome posse da área pública


05/04/2017 às 09:24

Uma área do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), localizada na rua Rafael Assayag, no bairro Alvorada 1, Zona Centro-Oeste da cidade, que hoje funciona como uma pequena praça, é alvo de uma disputa entre moradores e uma policial civil, que pediu para não ser identificada. 

Segundo denúncia de moradores, que também  pediram para não serem identificados, na extremidade entre a pracinha e o terreno da policial civil foi colocado um contêiner e eles temem que, aos poucos, ela vá “tomando posse” da área pública. 

De acordo com os denunciantes, a policial civil foi indenizada pelo Prosamim, mas teria intenções de invadir novamente o terreno. Versão que é veementemente negada pela policial civil. Ela informou que comprou o terreno no ano de 1999 e não foi indenizada pelo Prosamim quando ocorreram as intervenções naquela região do bairro Alvorada. 

A policial civil disse, também, que o terreno dela inclui a área onde hoje está localizada a pracinha, mas que funcionários do Prosamim pediram para gramar aquela área apenas para a inauguração da obra e posteriormente ela poderia murar e “ganhar” um terreno gramado e com quatro bancos. “Meu erro foi deixar eles gramarem isso aí. Eu deveria ter murado tudo logo no início, pois minha propriedade chega até aqui (pracinha) e eu tenho documentos que provam”, disse. 

A policial civil contou que essa é a segunda vez que ela foi denunciada. A primeira vez foi há mais de cinco anos, quando ela construiu um muro em volta da propriedade. “Eles falaram que eu estava invadindo, mas é minha propriedade. E agora de novo isso”, disse. 

Aluguel

Os imóveis localizados na propriedade são alugados pela policial civil. O próximo a ser inaugurado funcionará como um restaurante e fica de frente para a praça. “Deve ser porque vai ter um ponto comercial aqui”, disse, sobre a possível motivação das denúncias. 

O contêiner está sob a responsabilidade Ronal Polpas. “Eu sou inquilino aqui. Esse contêiner está sob minha responsabilidade, mas está dentro da propriedade da locatária. Não tem nada irregular aqui”, disse o proprietário da empresa, que pediu para não ser identificado. O inquilino informou que o contêiner está na propriedade há cerca de um mês e ninguém do bairro foi até ele questionar sobre invasão de área pública.  

Suhab deve vistoriar o terreno 

A Unidade de Gerenciamento do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus informou que o Prosamim do bairro Alvorada foi entregue há muitos anos e não teria como informar se a proprietária foi indenizada ou não e a extensão do terreno dela. Mas comunicou que a Superintendência Estadual de Habitação (Suhab) teria esses dados. 

A Suhab informou que uma equipe de fiscalização irá ainda essa semana ao local, na tentativa de identificar e pode até notificar, caso não exista documentação. Eles pedirão que a dona do terreno apresente a documentação da área, que hoje é pública. Caso não haja documentos,  o caso será encaminhado ao departamento jurídico.

 

publicidade
publicidade
Estudante de 13 anos é encontrado morto com tiro na cabeça no Dom Pedro
Detento do semiaberto morre após ser baleado em área de mata no bairro Alvorada
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.