Publicidade
Manaus
Manaus

Praia da Ponta Negra será reaberta nesta quinta (11) mas com área de banho limitada

Após quatro meses, balneário será liberado com espaço limitado para banhistas, que, em dias ‘badalados’, terão menos de 1m² para nadar 11/04/2013 às 08:50
Show 1
Equipamentos para uso dos profissionais do Corpo de Bombeiros já foram adquiridos e levados para a Ponta Negra
Steffanie Schmidt ---

A praia da Ponta Negra, no Tarumã, Zona Oeste, que será reaberta nesta quinta-feira (11) ao público vai destinar nem mesmo um metro quadrado por pessoa dentro da água, em média, no final de semana, quando se espera a presença de 15 mil pessoas no local, frequência de lotação observada pelo Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb) no ano passado.

Serão 90 centímetros quadrados por banhista considerando a média da distância da margem até a bóia limite de segurança, que varia de 15m a 30m, pela extensão da praia, que chega a 600 metros, segundo o Corpo de Bombeiros.

A obra de R$ 12 milhões está fechada desde novembro por orientação do Ministério Público Estadual (MPE), após o registro de 16 mortes, desde que ela foi liberada, em junho do ano passado.

Nesta quarta-feira (10), o prefeito Artur Neto esteve no local para a abertura simbólica da praia, que estará liberada para o público a partir das 6h desta quinta-feira. Todos os dias, às 17h, uma sirene dará o “toque de recolher”. De acordo com o prefeito, apenas bebidas leves terão a venda liberada, a exemplo da cerveja, mas somente em lata. “Aguardente e outras bebidas mais fortes não serão toleradas. É uma praia com regras, com monitoramento, talvez, uma das mais regulamentadas do país”, afirmou Artur Neto.

Ele acredita que isso seja necessário a fim de conscientizar a população sobre o uso responsável do local. “Penso que não é inteligente burlar a fiscalização para arriscar a própria vida. Estamos buscando fazer com que os banhistas se preservem”. A fiscalização será mantida, inclusive à noite. “Não poderemos impedir que eventualmente um ou outro caia na água durante a madrugada, mas vamos olhar”, completou.

Artur Neto não descartou a possibilidade de retirar o monitoramento à noite, a longo prazo. “Vejo em Ipanema, no Rio de Janeiro, as pessoas fazendo luais maravilhosos. É uma questão de evoluirmos para isso. Com o tempo, as pessoas vão entrar nesse ritmo, somos brasileiros e temos a mesma raiz, ou seja, também somos capazes de frequentar praia à noite com responsabilidade, mas, por enquanto, teremos de ficar como alguns balneários americanos, que são vetados à noite”, disse.

Perigo maior na vazante

“O maior perigo é quando inicia a vazante”. Essa é a afirmação do soldado bombeiro Leandro Nunes, que trabalha como salva-vidas na praia da Ponta Negra desde antes da reforma. Isso porque, segundo ele, com a cheia, a água ocupa o pedaço de praia que foi aterrado, ficando, portanto, nivelado.

Outro fator apontado por ele como preocupante é o baixo efetivo que faz com o bombeiro escalado para atuar na praia seja o mesmo que acabou de deixar um plantão de 24h. Em dias de semana, a previsão é de que 20 homens da corporação estejam no local. Nos finais de semana, esse contingente sobe para 40.

Ontem, a expectativa para a reabertura era grande entre o público. Dona Edrina Pereira da Silva, umas das 25 permissionárias, já arrumava a barraca no local. O marítimo Eduardo Cunha, frequentador assíduo, também esteve no local para conferir os preparativos.

Publicidade
Publicidade