Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019
Manaus

Praia interditada da Ponta Negra desaponta banhistas no feriado

No Dia do Trabalhador muitos foram a Ponta Negra para se decepcionar com a interdição da praia. Nem mesmo a programação destinada aos trabalhadores conseguiu segurar as pessoas no local



1.jpg Bombeiros apenas fiscalizam a área
02/05/2013 às 07:40

A proibição para o banho na praia da Ponta Negra frustrou a população que foi nesta quarta-feira (01) ao local com objetivo de passar o feriado do Dia do Trabalhador se divertindo com a família no mais tradicional balneário de Manaus. Nem mesmo a programação destinada a aos trabalhadores conseguiu segurar as pessoas que foram a Ponta Negra. Sem o banho de rio, muitos preferiram voltar para suas casas, mas não faltaram pessoas que permaneceram só na areia tomando banho de sol.

O acesso a água está proibido pelo Corpo de Bombeiros desde domingo devido o aparecimento de jacarés no local. Um deles foi capturado. A proibição deve ser reavaliada nesta quinta-feira (02). A decisão foi tomada em reunião que aconteceu na sede da Prefeitura de Manaus e envolveu órgãos municipais, estaduais e Polícia Militar, visando a segurança dos banhistas.

A manhã desta quarta-feira começou com grande movimentação de pessoas no calçadão fazendo práticas esportivas. Na praia alguns banhistas chegaram a entrar na água, mas foram logo retirados por integrantes do Corpo de Bombeiros. Impedidos de ter acesso a água a praia foi se esvaziando. A maioria voltar para as suas casas ou ainda procurar outro local para refrescar o calor.

O contador Cristiano Leão, 48, achou exagerada  a decisão que proibiu o banho na praia. Ele foi com a mulher e acabaram ficando só na sombra de uma árvore tomando cerveja e ouvindo música em um radinho de pilha. “Os jacarés vão estar sempre por aqui é só tomar cuidado porque é a água é o habitat natural dele”, disse.

A industriária Marta de Lima, 26, moradora do conjunto Castanheiras, Zona Leste, foi de ônibus com a família para tomar banho na praia da Ponta Negra e ficou decepcionada com a proibição e disse que tomaria banho tranquilamente no local porque, segundo ela, jacaré não ataca ninguém. Ela voltou pra casa depois de ter banhado o filho de 7 anos de idade no chuveiro.

O administrador do Parque Ponta Negra Mafran Evangelista disse que apesar da interdição ter sido bastante divulgada muita gente ainda tentou entrar no rio, mas foram logo retirados. Segundo ele a movimentação pela manhã não foi tão grande e que a fiscalização foi mantida no acesso a praia para evitar a entrada de material proibido como garrafas de vidro, e objetos perfuro-cortante foi mantida.

Segundo Mafran, nenhum incidente foi registrado envolvendo banhistas.

Entidades esperavam público maior

Entidades representantes dos trabalhadores escolheram o anfiteatro da Ponta Negra para fazer a festa do trabalhador. A programação do dia começou com atividade esportiva seguido por atração musical. Pouca gente participou da programação pela manhã.  A coordenação do evento esperava por um número maior à tarde quando no final do dia aconteceu o sorteio de um carro e duas motos.

Pedro Rafaiete Cone, 28, trabalhador da construção civil, disse que esperava que a festa fosse melhor, já que a situação atual está boa. Outros trabalhadores disseram que a festa estava boa e que aguardavam pelo sorteio para ver se levavam um dos prêmios.

O secretário da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Mardônio Albuquerque disse que hoje o trabalhador tem motivos para comemorar, mas que ainda há muitas conquistas pela frente como a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem a redução salarial, e o fim do fator previdenciário que diminui em 40% da aposentadoria.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.