Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Cadastro

Prazo para a entrega da documentação para o serviço de mototáxi encerra nesta segunda

Dos 1.635 mototaxistas selecionados na última licitação da prefeitura, 467 ainda não compareceram à SMTU



moto.JPG Regularizado, Rodrigo Oliveira atua na função de mototaxista há 10 anos (Foto: Aguilar Abecassis)
15/08/2016 às 05:00

O prazo para a entrega da documentação e apresentação das motocicletas padronizadas para o serviço de mototáxi encerra hoje. O processo de cadastro inclui a apresentação de documentação, vistoria do veículo e equipamentos e assinatura do contrato de permissão.  O não comparecimento resultará no cancelamento da permissão.

Dos 1.635 mototaxistas selecionados na última licitação, realizada pela Prefeitura de Manaus, 460 ainda não compareceram à Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU)  para efetivar o cadastro. Para o mototaxista Rodrigo Oliveira, 28, que atua pela Associação Manauara Mototaxi e há dez anos desempenha a função, a regularização do serviço é uma das alternativas para padronizar e legalizar a categoria.

“Considero um grande avanço para a nossa classe. Como pessoas devidamente regularizadas e dentro dos trâmites legais da lei, é possível oferecer um serviço com mais qualidade e diferenciado aos usuários. Passa mais confiança aos passageiros”, comentou Rodrigo.

Ele lamenta a falta de fiscalização para combater os mototatistas chamados “clandestinos”. “É injusto você pagar diversas taxas pela sua regularização, enquanto que há pessoas usufurindo do seu direito sem estarem regularizadas”, ressalta.

O mototaxista conta que, da função, consegue tirar em  média R$ 80 a R$ 100 por dia, mas lembra que no passado lucrava bem mais. “Cheguei a lucrar R$ 200 ao dia, foi uma época boa, mas hoje em dia dá para ir levando”, conta Rodrigo, que nesses 10 anos adquiriu uma casa, um carro e conseguiu comprar a própria moto com a renda do mototáxi.

Colega na atividade, Luciano Alves, 30, começou em 2012. Hoje, ele também atua com sua própria motocicleta. “Foi um período difícil, alugava moto para trabalhar, mas me dediquei bastante até comprar minha moto e a tendência é melhorar ainda mais”, completou.

Processo

O atendimento é realizado de 8h às 14h, na Divisão de Transporte Comercial (DVTCOM) da SMTU, localizada na rua Barão de Indaiá, 330, Flores, na Zona Centro-Sul. O prazo para o cadastro dos licitantes é de 180 dias.

Caso não haja problemas na documentação do mototaxista, será fornecido o MT (número da permissão de mototáxi). O cadastro da moto pode ser feito posteriormente. Ao serem vistoriados na SMTU, a moto e os equipamentos de segurança deverão estar padronizados, conforme os critérios definidos no edital.

Sorteio na licitação

 A segunda licitação do serviço de mototáxi foi homologada no dia 11 de fevereiro deste ano, após conclusão do sorteio dos candidatos empatados com 60 pontos.  De acordo com informação da SMTU, a homologação e a lista com o nome dos 1.635 selecionados pode ser conferida na edição 3826 do Diário Oficial do Município (DOM).

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.