Domingo, 19 de Janeiro de 2020
ELEIÇÃO 2020

Pré-candidatos a prefeito de Manaus travam embate por apoio de Bolsonaro

Com recall eleitoral de quase 66% dos votos em Manaus, o presidente da República é apoio preferido de grande parte dos prefeituráveis



ELEI__ES_B3E1C958-F662-4015-83FF-EF4174B26A52.JPG Ao menos sete pré-candidatos a prefeito de Manaus se mobilizam para ter o presidente Jair Bolsonaro em seus palanques em 2019. Arte: A Crítica
08/12/2019 às 09:44

A menos de um ano das eleições 2020, pré-candidatos a prefeito de Manaus disputam as bençãos  do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e de políticos influentes como o ex-presidente Lula e o ex-ministro Ciro Gomes. A corrida para agradar o cacicado político nacional envolve de fervorosas declarações de alinhamento ideológico a celebrações religiosas.

Com quase 66% dos votos válidos na eleição de 2018 em Manaus, e no comando da Presidência da República, Bolsonaro é o mais cortejado pelos prefeituráveis.  Silas Câmara (Republicanos), um dos aspirantes ao cargo,  conseguiu que o presidente antecipasse sua vinda à cidade em um dia para participar do ‘culto de gratidão a Deus pela vida do Senhor Presidente’ na Igreja Assembleia de Deus, dirigida no Amazonas pela família do parlamentar. O deputado tem sido figura presente em vários atos religiosos em que Bolsonaro é convidado.



No mesmo partido, o deputado federal Alberto Neto, debutante em cargos eletivos, também insinua candidatura. Na segunda visita do presidente a Manaus, o parlamentar divulgou imagem e vídeo a bordo do avião presidencial. Porém, se quiser disputar a prefeitura vai ter que mudar de partido, já que a sigla é comandada por Silas.

Aceno

Outro político de primeiro mandato, o deputado federal e presidente do PSL no Amazonas, Pablo Oliva, também anda se animando com a possibilidade de disputar o cargo hoje ocupado por Artur Neto (PSDB). Ele ainda não anunciou se permanecerá no PSL ou migrará para o Aliança pelo Brasil, partido que os Bolsonaros estão criando. “A conversa foi melhor do que o planejado”, disse Pablo referindo-se a conversa que teve com Bolsonaro na aeronave presidencial, na vinda para Manaus, sobre  planos futuros.

Compadre

Compadre do presidente, o superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, apontado como um dos favoritos para presidir o partido de Bolsonaro no Amazonas, também pode compor o palanque para 2020.

Candidato a governador em 2014 e a vice em 2018, o vereador Chico Preto ingressou  para o Democracia Cristã, há uma semana, com o propósito de concorrer à prefeitura. No evento de filiação, ressaltou o alinhamento ao discurso bolsonarista. “A minha história com o DC começa a partir de agora. Por onde quer que eu vá eu deixo bem claro os meus posicionamentos. Votei no Bolsonaro nos dois turnos e já deixei isso claro ao partido”, afirmou no evento.

No segundo turno das eleições, Bolsonaro venceu em Manaus com 686,6 mil votos, contra 358,3 mil de Haddad (PT). Em todo o Amazonas, foram 885,2 mil votos, contra 875,3 mil do petista.

Opinião

Para o sociólogo e cientista político Luiz Fernando Souza, o palanque de pré-candidatos que reivindica o apoio de Bolsonaro é composto por figuras que vem da ‘velha escola Gilbertistas’ e de outros políticos que estão ‘surfando nessa agenda de política.

“Tem um palanque múltiplo demais que, na verdade, uma grande parte dele está testando até onde vai ser essa popularidade do atual presidente e o impacto que pode causar na corrida. Se fosse hoje a eleição, o apoio de Bolsonaro significaria votos.  As duas últimas eleições mostram uma certa virada mais conservadora do eleitor manauara, mas isso não é definitivo. Esse palanque todo que disputa o apoio de Bolsonaro pode se desfazer”, declarou.

Na avaliação do sociólogo um grupo seleto de pré-candidatos, composto por representantes da força policial e de evangélicos, serão fiéis a agenda defendida pelo presidente da República.

Destaque

O vice-presidente nacional do PDT, Ciro Gomes, disse que apoia a candidatura do presidente estadual da sigla, Hissa Abrahão a prefeitura de Manaus. “Pelo meu gosto ele é candidato, sim” disse Ciro, na capital, ao ser questionado sobre candidaturas municipais.

Comentário: Afrânio Soares, cientista político e pesquisador

É muito comum candidatos a prefeito, principalmente, de cidades maiores associar a sua imagem a personalidades de âmbito nacional. Em prefeituras do interior, se dá com personalidades locais:  senadores e governadores. A intenção é de que esse apoio inicial possa colocá-los no segundo turno.

No caso do presidente Jair Bolsonaro,  a ideia dos desejosos pré-candidatos receberem o seu apoio tem a vertente de se apropriar de parte do seu eleitorado que em Manaus ainda goza de uma aprovação  maior que a média nacional, mais de 40%. Ou seja, quem tiver, de fato, o apoio do presidente acredita que pode vir a herdar essa popularidade. Isso é uma utopia. Ninguém transfere todo o seu potencial de votos para uma outra pessoa. Mas pode ajudar na disputa eleitoral.

O deputado Josué Neto afirma que recebeu ‘recado’ de que não deveria ser candidato, não teria o apoio do PSD e poderia, inclusive, perder o seu mandato. Bolsonaro está criando um novo partido e nesse contexto o parlamentar eleito pode migrar sem sofrer penalidades de infidelidade partidária. Acredito que Josué, provavelmente, está vislumbrando isso e ainda pleitear o apoio irrestrito de Bolsonaro, mas tem alguns outros que também querem.

Romero Reis tem um perfil muito parecido com o do Bolsonaro, mas não tem  legado político e aparece nas intenções de voto muito baixo. Essas pesquisas são meramente parâmetros. Existe a possibilidade de ser revertido. Por exemplo, o ex-governador José Melo saiu de uma posição tão pequena quanto qualquer um desses que aparecem com 1 ou 2% de intenção de voto. Ainda tem muito a se fazer. Se um governo federal ou estadual entrar pesado numa campanha pode alavancar um candidato.

Personagem: Romero Reis, proprietário da RD Engenharia

O empresário Romero se lançou como candidato do Partido Social Liberal (PSL) para prefeitura de Manaus nas eleições de 2020. Reis já teve encontros com o presidente Bolsonaro antes e depois das eleições de 2018. Ele anunciou a saída do PSL, em carta aberta, enfatizando que sua lealdade ao presidente é ‘inegociável’ e que compartilham dos mesmos propósitos e sentimentos.

Antes mesmo de Bolsonaro anunciar a saída do PSL, após o racha no partido, o empresário se apressou em deixar bem claro que ‘fecha com o presidente’, qualquer que seja a sua decisão.

Romero Reis se filiou ao Partido Novo afirmando que a sigla está alinhada com o que ele ‘acredita ser o caminho para recuperação do País’.

José Ricardo se encontrou com Lula

O deputado federal José Ricardo (PT) disse que declarou ao ex-presidente Lula, em encontro no 7º Congresso Nacional do PT,  que o partido terá candidato a prefeitura de Manaus, em 2020.

“Cumprimentando-o, na reunião do diretório nacional do PT com muita gente, falei muito rápido que sou pré-candidato a prefeito de Manaus. Vamos ter, oportunamente, o momento para conversar mais detalhes sobre a candidatura”, afirmou o petista.

O parlamentar avalia que a soltura do ex-presidente e a presença dele será decisiva para as eleições municipais no cenário em que Lula possa visitar as cidades e contribuir para o pleito. “Se ele puder fazer isso deve ajudar no processo de discussão de projetos e propostas para melhorar as cidades e a vida da população. O ex-presidente Lula é muito querido no Brasil inteiro e no Amazonas”, disse.

Dentro da sigla, outros parlamentares também pleiteiam a candidatura. O presidente estadual do PT-AM, deputado Sinésio Campos, disse que José Ricardo, se quiser ser candidato, terá que enfrentar prévias e se lançou como pré-candidato a prefeito. O vereador Sassá também já se lançou como pré-candidato a prefeito de Manaus.

Amazonino disse que tira o ‘chapéu’

No início de outubro, o ex-prefeito Amazonino Mendes, outro possível candidato no próximo ano,  postou um vídeo se alinhando ao pensamento bolsonarista em relação à Amazonia.  “O que me traz aqui nessa coisa tão gostosa, que é a gente conversar é uma preocupação que tem me ocupado a cabeça nos últimos tempos [...]. Estou falando da nossa terra, da Amazônia”, disse Amazonino, ressaltando que concorda com as posições do presidente para defender a soberania nacional em relação à região.

O ex-prefeito  disse que há um entendimento  científico de que a mudança climática negativa, o aumento do calor, da temperatura do nosso planeta é decorrente da emissão de gases, sobretudo do gás carbônico para a atmosfera e cita que as ações do homem são responsáveis pelos males.

Amazonino, que deixou o PDT,  disse que as pessoas de todo o mundo estão certas em ficarem preocupadas com a falta de cuidado com a Amazônia e que a terra está sendo “asfixiada”. “Fazendo as restrições de estilo, normais e naturais, gostando ou não do presidente Bolsonaro, a verdade é que ele esboçou uma reação positiva para defender a nossa soberania. (Para) Isto nós temos que tirar o chapéu”, afirmou o ex-prefeito.

News larissa 123 1d992ea1 3253 4ef8 b843 c32f62573432
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.