Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019
Manaus

Prédio com risco de desabamento na Zona Norte de Manaus é demolido pela Prefeitura

Defesa Civil fez vistoria técnica no prédio pela manhã, que foi condenado em razão da sua instabilidade, sujeito a desmoronamento dos andares e com risco iminente à população. Falhas na execução da obra são apontadas como comprometedoras da estrutura



1.jpg Quatro residências ao redor do prédio tiveram que ser interditadas por medida de segurança
09/05/2015 às 17:54

A Prefeitura de Manaus, em ação integrada com diversos órgãos municipais e estaduais, realizou a demolição de um prédio irregular, sem placa de licença, de cinco pavimentos, que estava em construção na rua das Palmeiras, Cidade de Deus, Zona Norte da cidade. A operação aconteceu na manhã deste sábado (9).

A ocorrência foi registrada às 4h40 deste sábado e, 15 minutos depois, a primeira equipe da Defesa Civil do Município chegou ao local, constatando um colpaso na estrutura do prédio de cinco andares, que teve um desabamento parcial. Os dois primeiros pavimentos foram esmagados, incluindo o térreo, o que deixou o imóvel em situação instável. 

Na hora do desabamento, o vigia Mario Lopes, 65, estava dormindo no quarto andar, e conseguiu sair pela janela, com a ajuda de vizinhos. Ele não sofreu ferimentos. 

Pela manhã, equipes de engenharia da Defesa Civil realizaram vistoria técnica no prédio, que foi condenado em razão da instabilidade do mesmo, sujeito a desmoronamento dos demais andares, com risco iminente à população. De acordo com o engenheiro Cláudio Belém, foram constatadas falhas na execução da obra que comprometeram a estrutura. 




Segundo o secretário executivo de Proteção à Defesa, capitão Aníbal Gomes, a construção foi condenada após avaliação e, assim, acionada operação integrada coordenada pelo Gabinete de Gestão da Prefeitura (GGIM), para salvaguardar a vizinhança. 

De acordo com moradores, o proprietário estaria viajando e não enviou representante ao local do sinistro. Mesmo assim, ele foi contactado por telephone e informado sobre o sinistro. Ele ainda receberá notificações do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), por obra sem licença, termo de demolição, auto de infração e os custos da demolição realizada no sábado. O responsável deverá comparecer ao Implurb e apresentar o responsável técnico pela obra, sob pena de outras sanções administrativas. 

Na demolição do prédio foram usados uma escavadeira hidráulica, uma retroescavadeira, um carro munck e seis caçambas para remoção do entulho.

Participaram da operação equipes e secretários da Defesa Civil, GGIM, Implurb, das Secretarias de Infraestrutura (Seminf), Limpeza Pública (Semulsp), Assistência Social (Semmasdh), Manaustrans, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Amazonas Energia. O Implurb também acionou o Conselho Regional de Engenharia (CREA-AM), que enviou representante ao endereço, acompanhando a demolição.

Quatro residências ao redor do prédio tiveram que ser interditadas por medida de segurança, por haverem sofrido danos em suas estruturas. Durante a demolição, dez prédios localizados no quarteirão foram evacuados. Uma família foi orientada a sair definitivamente,  por conta do risco de desabamento. O custo do aluguel vai ficar sob responsabilidade do proprietário do imóvel demolido.

*Com informações da ssessoria de imprensa


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.