Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
Manaus

Prefeito de Manaus acabará com o aluguel de prédios para escolas municipais

Artur prometeu acabar com a prática até o fim da administração dele, em 2016



1.jpg Prefeito Artur Neto promete acabar com aluguel de prédio para funcionar como escola municipal até 2016
29/08/2013 às 12:13

O prefeito Artur Neto (PSDB) classificou de “vício” o aluguel de escolas na administração pública municipal, mas prometeu acabar com a prática até o final da administração dele, em 2016. Artur reprovou a fala do subsecretário municipal de Educação, Deuzamir Pereira (PSDB), que há 12 dias afirmou existir um grupo, atuando dentro da Prefeitura de Manaus, que teria como fim “assaltar o dinheiro da população”. Segundo Artur Neto, o auxiliar “surtou”. “Se ele diz isso duas vezes tinha que ir para um manicômio”, afirmou.

As declarações do prefeito foram feitas antes da homenagem ao ex-presidente da Confederação Brasileira de Atletismo Roberto Gesta que ocorreu na manhã dessa quarta-feira (28) na Assembléia Legislativa do Amazonas (ALE-AM). Conforme Artur, não dá para acabar com o aluguel de prédios para o funcionamento de escolas do dia para a noite. “Esse vício nasceu e perdurou por muito, muito tempo. Ao final do meu governo não quero nenhuma escola alugada. Tenho o compromisso de acabar com isso”, disse.

Para cumprir com a promessa, a Prefeitura de Manaus pediu do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) 200 milhões de dólares para, entre outras coisas, construir escolas a fim de acabar com aulas em prédios alugados. “Nós encontramos esse quadro dos aluguéis. Fizemos um (contrato). Abrimos mão de outros. Reduzimos inúmeros contratos poupando recursos. Mas que alternativa eu teria? Fechar as escolas porque são alugadas. As crianças ficariam sem aula”, comentou.

POLÊMICA

Durante o I Encontro Municipal de Educação da Região Metropolitana (RMM), realizado no dia 16, na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o subsecretário municipal da Educação, Deuzamir Pereira, afirmou existir um grupo dentro da Prefeitura para “assaltar o dinheiro da educação”. “Isso (aluguel) é um negócio sujo e chega a contaminar parte do tecido e nós precisamos extirpar esse câncer”, sustentou.

Segundo Artur, “aquilo foi um surto”. “Ele pediu desculpas. Desdisse. Acho que ele pensou que com isso se elegeria governador do Amazonas, secretário-geral da ONU. Mas nenhum dos cargos está vago”, ironizou o prefeito de Manaus. A despesa do município com o aluguel dos imóveis gera um gasto de R$ 29 milhões por ano.

Pesquisa aponta 76% de aprovação

A atual administração da Prefeitura de Manaus é aprovada por 76,3% da população. A afirmação é do prefeito Artur Neto. A pesquisa, feita pelo instituto GPP (de Campinas, SP), é deste mês e representa apenas os índices “ótimo” e “bom”, sem levar em consideração o “regular”. Ao todo, mil pessoas foram ouvidas. Para consumo interno, as pesquisas da administração municipal tucana são feitas trimestralmente.

Questionado se alguns protestos e paralisações, como dos trabalhadores em transporte rodoviário, teriam como fim desestabilizar o governo dele, o prefeito Artur Neto respondeu: “Manifestação é algo da democracia. Quando se excede, ultrapassa o limite da ordem, é para isso que tem polícia, é para isso que tem Justiça”. Segundo ele, é só andar na rua, com ele, para saber como a população se manifesta a respeito da gestão municipal.

‘Secretarias estão todas no osso’

Artur Neto declarou, ontem, que as secretarias da Prefeitura de Manaus estão “no osso” por conta da economia feita para priorizar as obras de infraestrutura na cidade. “Nossas secretarias estão todas ‘no osso’ para privilegiar a secretaria de infraestrutura”, afirmou. Além do empréstimo do BID, de 200 milhões de dólares, a Prefeitura de Manaus também tenta, segundo o prefeito, conseguir outro empréstimo junto ao Governo Federal, de 150 milhões de reais. “Enquanto isso vamos fazendo o que for possível com nosso dinheiro que está muito curto nessa fase em que a gente está fazendo esse esforço de verão”, afirmou.

No início do próximo mês, Artur Neto disse que dá a ordem de serviço para as obras de urbanização do loteamento Águas Claras, na Zona Norte. A construção conta com financiamento da Caixa Econômica Federal no valor de R$ 55 milhões. Artur também afirmou que a Prefeitura tenta equilibrar a conta da Educação junto ao governo federal. Conforme o prefeito, hoje, 90% do gasto é do Município, e 10% da União. Para ele, a equação precisa ser invertida.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.