Publicidade
Manaus
Manaus

Prefeito quer saber quem são tripulantes de avião que caiu na Zona Oeste de Manaus

Artur Neto quer saber quem são e o que vieram fazer em Manaus, o piloto americano Jhon Thompson, 42, e o co-piloto boliviano Luís Fernando, 40 12/03/2013 às 11:51
Show 1
“Se o acidente tivesse ocorrido nos Estados Unidos a ficha deles também seria levantada”, pontuou Artur Neto
JOELMA MUNIZ Manaus

A procedência do piloto e co-piloto do avião monomotor, prefixo N209B, vindo de Boa Vista (RR) e que caiu na noite dessa segunda-feira (11) em frente ao clube da Aseel no Tarumã, Zona Oeste de Manaus, foi questionada pelo prefeito da cidade, Artur Neto, na manhã desta terça-feira (12).


Artur Neto quer saber quem são e o que vieram fazer em Manaus, o piloto americano Jhon Thompson, 42, e o co-piloto boliviano Luís Fernando, 40.

“O que eles vieram fazer aqui? Que tipo de turismo é esse?”, indagou Artur. O chefe do executivo Municipal, disse que apesar de não terem sido encontradas nenhuma ilegalidade no monomotor, é necessário que a Polícia Federal investigue essas questões.

“Se o acidente tivesse ocorrido nos Estados Unidos a ficha deles também seria levantada”, pontuou.

Destroços/ Investigação

No início da tarde desta terça-feira (12) técnicos do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) estiveram no local do acidente para concluir a remoção dos destroços da aeronave, que foi levada para um espaço do aeroporto Eduardo Gomes.

Conforme disse o tenente-coronel chefe do Seripa, Artur Rangel, o motor da aeronave foi enviado à sede do Seripa, que funciona no aeroporto de Ponta Pelada, na Zona Sul de Manaus. O objetivo é analisar o objeto na busca de informações sobre a causa do acidente.

“Antes do fato a tripulação informou a torre de comando do aeroporto que o motor da aeronave estava com problemas. Então vamos averiguar o que aconteceu”, disse.

O relatório, fruto da investigação, apontará as causas do acidente. Ele será encaminhado ao Seripa (Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), que emitirá recomendações sobre segurança com o objetivo de evitar que episódios como este voltem a ocorrer, informou o tenente-coronel chefe do Seripa, Artur Rangel. O trabalho pode durar meses, de acordo com ele.

Rangel informou, ainda, que a palavra final sobre o ocorrido e as recomendações oficiais aplicadas ao caso, sairão da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

 

Publicidade
Publicidade