Publicidade
Manaus
MINDU

Prefeitura assina liberação de verba para desapropriação do Corredor Viário do Mindu

Com a desapropriação da área, a Prefeitura poderá avançar no projeto de recuperação ambiental e requalificação social e urbanística do igarapé do Mindu. Os serviços serão intensificados no trecho entre a Rua João Câmara e a Avenida Autaz Mirim 20/05/2016 às 19:26 - Atualizado em 21/05/2016 às 09:52
Show bd70a882 1c80 4f41 b2f4 c87fb00efb98
A assinatura foi realizada, na sede da Prefeitura, no bairro Compensa, zona Centro-Oeste nesta sexta-feira (20)
ACRITICA.COM Manaus (AM)

A Prefeitura de Manaus e a Caixa Econômica Federal firmaram, nesta sexta-feira (20) uma operação de crédito no valor de R$ 101,1 milhões. De acordo com o prefeito Arthur Virgílio Neto, os recursos são destinados à indenização de famílias, que residem ao longo do Corredor Viário do Mindu. A iniciativa vai possibilitar dar prosseguimento às obras de Recuperação Ambiental e Requalificação Social e Urbanística do Igarapé do Mindu.

A assinatura foi realizada, na sede da Prefeitura, no bairro Compensa, zona Centro-Oeste. Além do prefeito, o documento também foi assinado pelo superintendente, em exercício, da Caixa Econômica Federal, Wellington Lopes da Silva Neto, e pelos secretários municipais de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef), Ulisses Tapajós e Infraestrutura (Seminf), Alexandre Morais.

“Agora a ordem é avançar e fazer com que essa grande obra seja irreversível e não retroceda. É uma obra importante, relevante e a gente respira ares novos com o novo governo e agradeço a Caixa Econômica que sempre esteve conosco e sempre procurou nos ajudar. Vamos procurar fazer essas desapropriações de forma rápida, nas tudo de maneira social que não venham a dar prejuízos às famílias que ali residem”, destacou o prefeito.

De acordo com o superintendente da Caixa, Wellington Lopes, a instituição sempre foi parceira da Prefeitura de Manaus e outras instituições estruturas administrativas. Ele destacou que os recursos repassados são oriundos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDS). “Temos parcerias estratégicas que visam melhorar a cidade de Manaus como um todo”, disse.

Revitalização

Com a desapropriação da área, a Prefeitura poderá avançar no projeto de recuperação ambiental e requalificação social e urbanística do igarapé do Mindu. Os serviços serão intensificados no trecho entre a Rua João Câmara e a Avenida Autaz Mirim.

No local serão realizados os trabalhos de contenção do igarapé com gabião, construção de 6 pontes de concreto para o tráfego de pedestres e veículos e a construção de dois corredores viários, margeando o igarapé e respeitando os limites de preservação ambiental.

“Temos três quilômetros agora para trabalharmos e chegar até a Autaz Mirim. O primeiro quilômetro já tem um avanço e com esses recursos vamos seguir esse caminho até o término desse trecho”, explicou a diretora da Unidade Executora do Programa e Infraestrutura Urbana e Ambiental de Manaus, Myrian Koifman. 

Desapropriação da área

Durante toda a obra, aproximadamente três mil casas foram mapeadas para serem retiradas das margens do igarapé no trecho que se estende do entroncamento da Rua Itaeté com as avenidas Autaz Mirim e Brigadeiro Hilário Gurjão, bairro Jorge Teixeira, zona Leste, até a ponte que dá acesso a Rua João Câmara, no bairro Novo Aleixo, zona norte.

Desse número, 393 famílias já foram indenizadas. As indenizações ocorreram de 2013 a 2015. Outras 415 famílias foram contempladas com aquisição de moradias, como parte das metas do contrato firmado. E mais 679 famílias foram reassentadas nas duas unidades habitacionais construídas no bairro Cidade de Deus, zona Leste. São eles: Parque dos Buritis I e Parque Residencial Deus é Fiel.

Nathan Xavier

A primeira etapa do Corredor Viário do Mindu, localizado na zona Leste, foi entregue no dia 26 de março de 2013. A pista ganhou o nome de Nathan Lemos Xavier de Albuquerque e tem extensão de aproximadamente de 3 km com 10,80 metros de largura, nos dois sentidos da pista, fazendo a ligação viária entre o Parque Linear 2 - que vai da Rua João Câmara até a Avenida Grande Circular, nas proximidades do Igarapé do Mindu – e Avenida das Torres.

A área recebeu serviços de galeria celular dupla, para a transposição do Igarapé do Geladinho e construção de ponte sobre o Igarapé do Goiabinha. A via possui ainda contenção lateral em grama, canteiro central de dois metros e iluminação pública artística, que favorece árvores, arbustos e grama, além de passeios laterais.

Projeto

O projeto de revitalização foi assinado ainda em 2007 e a partir de investimentos de R$ 200 milhões, começou a ‘andar’ somente em 2010. Até hoje, apenas 39% das obras estão concluídas. O atraso se deve à dificuldade do executivo na retirada das famílias que habitam as áreas, uma vez que as desapropriações não estavam incluídas no valor das obras.

Conforme explicou o secretário da Semef, Ulisses Tapajós, a prefeitura destinou R$ 6 milhões provenientes dos recursos do tesouro municipal para indenizar algumas das residências instaladas às margens do igarapé. “No entanto, de acordo com o levantamento da prefeitura, ainda restam 1.680 famílias a serem indenizadas. Com este recurso poderemos avançar a passos largos nas obras do Mindu”, destacou acrescentando que a operação de crédito entre o executivo e a Caixa terá uma taxa de juros de 3,4% ao ano, carência de 24 meses e um prazo de 96 meses para amortização.

*Com informações da assessoria de imprensa

 

Publicidade
Publicidade