Publicidade
Manaus
Manaus

Prefeitura coloca 1.053 postos de vacinação contra poliomielite e de multivacinação

Em campanha nacional que começa hoje (15) e vai até o dia 31, a meta é vacinar 153.482 crianças a partir de 6 meses a 5 anos incompletos 15/08/2015 às 11:33
Show 1
Cleiton de Souza e Paola Cristina levaram as duas filhas para vacinação
NATÁLIA CAPLAN Manaus

Pais de Alicia Paola, de 9 meses, e Gabriela Paola, de 8 anos, Cleiton de Souza e Paola Cristina, sabem bem a importância de manter as vacinas dos filhos em dia. Na manhã deste sábado (15), na Policlínica Castelo Branco, no Parque Dez, Zona Centro-Sul, eles levaram a bebê para tomar as gotinhas, durante o Dia D de mobilização da Campanha Nacional contra a Poliomielite e de Multivacinação.

Técnico de enfermagem e enfermeira, respectivamente, eles usam o conhecimento como profissionais da área da saúde para conscientizar amigos e familiares sobre a imunização das crianças. “Está tudo em ordem, nunca atrasamos nenhuma vacina”, afirmou o pai, mostrando com orgulho a tabela da carteirinha de vacinas da caçula completa para a faixa-etária.

Para Paola, é necessário responsabilidade de ambos para proteger a saúde das pequenas. “Não é agora que vamos ver o resultado, mas futuramente. É a vacinação, aqui atrás, que vai fazer a diferença na saúde dos filhos. É responsabilidade dos pais e mães, responder pela criança”, declarou.  

A campanha irá até o dia 31 de agosto com a proposta de atualização da caderneta de vacina de crianças a partir de 6 meses a 5 anos incompletos (4 anos, 11 meses e 29 dias).


Campanha ocorre até o dia 31 de agosto

O público-alvo da campanha contra a poliomielite são 161.560 crianças, com a meta de vacinação de 95% delas, ou seja, 153.482 crianças. Quanto à campanha de multivacinação, a meta é avaliar e atualizar o cartão vacinal de todas as crianças que comparecerem às unidades de saúde no período.

A multivacinação oferta, em um momento de reforço, doses de diversas vacinas à população, com o intuito de melhorar a cobertura vacinal e otimizar a logística dos serviços de saúde, visando evitar doenças imunopreveníveis como hepatite B, coqueluche, tétano, difteria, diarreia por rotavírus, febre amarela, caxumba, sarampo, rubéola e meningite.

A poliomielite é uma doença infecto contagiosa viral aguda, caracterizada por paralisia flácida de início súbito, que acomete os membros inferiores de forma assimétrica, com característica principal a flacidez muscular, com sensibilidade conservada.

Ainda hoje, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), três países (Afeganistão, Nigéria, Paquistão) registram casos da doença, porém, no Brasil, desde 1990, não há registros de poliomielite.

“O Programa Nacional de Imunizações (PNI) ao longo de sua história vem adotando estratégias diferenciadas para alcançar coberturas vacinais adequadas e com homogeneidade, visando contribuir para a erradicação, eliminação e controle das doenças imunopreveníveis e a poliomielite”, destacou a chefe da Divisão de Imunização da Semsa, Isabel Hernandes.

Publicidade
Publicidade