Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
Requalificação do Centro

Prefeitura de Manaus apresenta projeto de requalificação do centro nesta semana

Prefeitura espera aval do Iphan para começar o trabalho na região, que é tombada pelo patrimônio histórico da União



1.png Enquanto espera o aval do Iphan para o projeto, prefeitura faz ações pontuais, como a que retirou barracas
16/04/2013 às 08:37

O projeto que reestruturará o Centro da cidade deve ser divulgado  no final desta semana pela Secretaria Municipal Extraordinária de Requalificação do Centro de Manaus (Semex). O trabalho  precisa ser aprovado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e foi submetido à autarquia  há duas semanas.

A Semex trabalha com a hipótese do Iphan devolver o projeto sem recomendações de alterações para que o mesmo seja implantado o mais breve possível. No entanto, caso algum item tenha que ser alterado a pasta estima que o procedimento será feito com rapidez.  A ideia era apresentar o projeto na última semana, mas o prazo acabou sendo estendido.



A Semex prefere manter em sigilo o conteúdo do projeto para evitar especulações e só divulgará as informações quando houver o aval do Iphan. O projeto depende da autarquia porque o Centro histórico é tombado e os prédios, bem como, praças e outros logradouros não podem sofrer intervenções que modifiquem  o aspecto original.

A prefeitura  remeteu o projeto ao Iphan, entre outros aspectos, justamente para evitar conflitos posteriores começando obras que poderiam ser embargadas posteriormente.

Enquanto o projeto que terá abrangência maior não é divulgado, a Semex segue a meta de recuperar o Centro com ações pontuais. A mais recente foi à recuperação do Relógio Municipal, localizado na praça da Matriz. O entorno do monumento estava tomado por barracas de comida e atividades de camelôs que foram retirados do local.

O relógio recebeu limpeza pintura e manutenção. A ação não faz parte do projeto submetido ao Iphan, mas do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC), também conhecido como PAC Cidades Históricas. Só para Manaus estão destinados mais de R$ 33.681 milhões para restaurar prédios públicos tombados pelo Patrimônio Histórico Nacional. O PAC Cidades históricas prevê R$ 1 bilhão para a restauração de monumentos e edificações de uso público consideradas de primeiro grau e mais R$ 300 milhões para o financiamento e recuperação de imóveis privados de segundo grau. No total, 44 cidades foram selecionadas no país, sendo que a capital amazonense é a única do Norte beneficiada pelo programa.

Ameaças a secretário tem mistério

Nesta quarta-feira (17) fará um mês que o prefeito de Manaus, Artur Neto, denunciou a Polícia Federal a atuação das máfias chinesa, coreana e peruana na exploração ilegal de bancas de camelôs no Centro. Na ocasião, ele também pediu proteção da PF para o titular da Secretaria Extraordinária para Requalificação do Centro de Manaus (Semex), Rafael Lemos Assayag, que segundo Artur, estava  sendo ameaçado de morte pelas máfias por tentar organizar o Centro da cidade.

Questionada nessa segunda-feira(15), sobre as ameaças, a Semex esclareceu que prefere não se manifestar sobre o assunto. Contudo, fontes ligadas a secretaria disseram que desde que o assunto se tornou público, e principalmente, com a atuação da Polícia Federal, as ameaças contra Assayag pararam.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.