Publicidade
Manaus
Manaus

Prefeitura de Manaus retoma campanha de vacinação contra sarampo, rubéola e caxumba

Público alvo da campanha são crianças de um a quatro anos, 11 meses e 29 dias. Pais devem ficar alerta sobre possíveis reações alérgicas dos filhos à proteína do leite em uma vacina 10/12/2014 às 09:37
Show 1
Imunização havia sido interrompida depois que algumas crianças apresentaram reação alérgica
ACRITICA.COM ---

A Prefeitura de Manaus retomou a vacinação contra o sarampo, rubéola e caxumba (Tríplice viral) na capital, nas crianças de um a quatro anos, 11 meses e 29 dias. A imunização havia sido interrompida pelo Governo do Estado e Município depois que algumas crianças apresentaram reação alérgica.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) orientou, por meio de nota técnica, todas as equipes de vacinação a não aplicarem as doses em crianças com histórico de alergia à proteína do leite, com a vacina fornecida pelo laboratório Serum Institutte of India Ltd.

A vacinação para quem não tem alergia vai ocorrer em todas as Unidades Básicas de Saúde convencionais e Policlínicas, das 8h às 17h, menos nas da Estratégia Saúde da Família.

Equipes da Semsa estão preparadas para fazer a triagem com os pais e responsáveis sobre qualquer histórico de alergia que a criança tenha apresentado ao tomar leite de vaca, como urticária generalizada, edema labial, problema respiratório, estado de choque, entre outros.

“A informação é preventiva, pois foram notificados alguns casos de reações adversas em crianças que têm alergia ao leite. Vale ressaltar que todas as crianças passam bem. A cautela é redobrada e todos os funcionários de salas de vacinas estão preparados para a retomada do procedimento contra o sarampo, porque os benefícios desta vacina são enormes e muito importantes para manter o país livre dessa doença”, ressaltou o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão.

Se for identificada alguma criança que tenha alergia à proteína do leite ou qualquer contraindicação à vacina, os pais serão encaminhados para levar o menor para tomar vacina em uma das oito unidades de Saúde que a Semsa colocou com equipes preparadas para imunizar estas crianças alérgicas, com lote de outro laboratório: UBS Alfredo Campos (Zumbi), UBS Leonor Brilhante (Tancredo Neves), UBS Balbina Mestrinho (Cidade Nova), UBS Armando Mendes (Manoa), UBS Lindalva Damasceno (Tarumã), UBS Leonor de Freitas (Compensa), UBS José Rayol dos Santos (Chapada) e UBS Morro da Liberdade (Morro da Liberdade).

Até esta terça-feira, 9, a Semsa já tinha vacinado 91.457 crianças entre um ano e cinco anos incompletos contra o Sarampo, ou seja, 65,20% da meta.

Laboratório

O produtor Serum Institutte of India Ltd. é pré-qualificado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e fornece, há muitos anos, vacinas para vários países do mundo, inclusive o Brasil. Como rotina para aumentar a segurança das vacinas utilizadas em nosso país, o Ministério da Saúde também testa cada lote antes do mesmo ser utilizado.

Todos os lotes da vacina tríplice viral que estão em uso no país, incluindo os do Serum Institute, passaram por análise no Instituto de Qualidade em Saúde (INCQS), sendo aprovadas para uso. Desde junho deste ano, mais de 4,4 milhões de crianças já foram vacinadas com essa tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) no país e há garantia da segurança da vacina.

Ao analisar a composição da vacina do produtor Serum, verificou-se a presença de lactoalbumina hidrolisada, produto que pode fazer parte de algumas vacinas.

Embora não exista na bula nenhuma contraindicação do seu uso em pessoas que apresentam alergia ao leite de vaca, como medida de precaução, o Ministério da Saúde enviou a todas as secretarias estaduais de saúde um ofício recomendando que crianças com histórico de alergia ao leite de vaca não sejam vacinadas com a tríplice viral, do produtor Serum Institute of India Ltd.

O Ministério da Saúde está analisando, em conjunto com a Organização Pan-America de Saúde (OPAS/OMS), responsável pela aquisição deste produto, os eventos adversos registrados e sua possível associação com a vacina.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade