Sábado, 06 de Junho de 2020
Manaus

Prefeitura destrói mais de 20 mil CDs e DVDs piratas em Manaus

Cosméticos e celulares vendidos de forma ilegal também foram alvo da ação



1.jpg Ações da Prefeitura visam coibir o comércio de produtos ilegais na cidade
01/01/2014 às 10:59

A Prefeitura de Manaus, através da Secretaria Municipal de Feiras, Mercados, Produção e Abastecimento (Sempab) destruiu mais de 20 mil CDs e DVDs piratas, além de produtos cosméticos e celulares recolhidos em comércios irregulares de Manaus. Os materiais foram destruídos no triturador da Secretaria Municipal de Limpeza (Semulsp), no pátio da Sempab na tarde de segunda-feira (30).

Segundo o secretário Fábio Pacheco, a ação é resultado da fiscalização intensa realizada em dezembro pelo Departamento de Comércio Informal (DECIN) no Centro da cidade, para combater a venda de produtos piratas e a comercialização ilegal de frutas e verduras em carrinho de mão. 



 "Intensificamos as fiscalizações no Centro de Manaus neste fim de ano para coibir a presença de ambulantes que insistem em atuar na aquela área sem autorização. Desmobilizamos 35 fiscais que atuavam no Departamento de Mercados e Feiras que foram treinados para que pudéssemos ter um bom resultado nas nossas ações", disse.

 A Sempab também apreendeu mais uma tonelada de frutas e verduras de ambulantes que atuavam sem autorização da Prefeitura na área central. Todos os alimentos apreendidos foram doados para instituições de caridade, como a Liga Amazonense Contra o Câncer (LACC), a Associação Beneficente Lar das Marias e o Grupo de Apoio às Crianças com Câncer (GACC). A Casa Vhida, que cuida de crianças com HIV, e a Cozinha Comunitária, que fornece alimentação gratuita para pessoas de baixa renda, também foram beneficiadas.

* Com informações da Secretaria Municipal de Feiras, Mercados, Produção e Abastecimento (Sempab)


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.