Publicidade
Manaus
Manaus

Prefeitura deve iniciar amanhã (12) o fechamento da Praça Tenreiro Aranha para reforma

Após protesto e negociação ontem, artesãos aceitaram deixar o local e serão realocados para a rua José Clemente, também no Centro de Manaus 11/08/2015 às 14:30
Show 1
Segundo a Prefeitura de Manaus, a obra de restauração da praça custará R$ 2.015.815,46
Isabelle Valois Manaus

Por causa de uma manifestação, ontem, antes do início da realocação de 45 artesãos que trabalham na praça Tenreiro Aranha, Centro de Manaus, a prefeitura aumentou prazo e prometeu que até amanhã (12) deve fechar o local com tapumes para começar as obras de restauração. O projeto de reforma foi contemplado com recursos do projeto PAC Cidades Históricas e a obra custará R$ 2.015.815,46.

Os artesãos serão realocados para a rua José Clemente, também no Centro. Conforme os artesãos, até ontem ninguém os havia comunicado sobre a transferência e, por este motivo, foi realizada uma manifestação na manhã de ontem na avenida Floriano Peixoto, que depois seguiu para a sede da prefeitura, localizada na avenida Brasil, Compensa, Zona Oeste. O ato ocasinou congestionamento nas vias.

Um dos líderes do manifesto, o artesão Paulo Martins, explicou que muitos deles trabalham na praça há mais de 20 anos e que sua retirada vai prejudicar na venda dos artesanatos. “Temos cliente que sempre nos procuram neste local, e nos transferir dessa forma, sem dúvida, irá nos prejudicar”, disse.

A prefeitura havia comunicado que a saída dos artesãos foi acertada na última sexta-feira, pelos secretários do Trabalho, Empreendedorismo, Abastecimento, Feiras e Mercados (Semtef), David Valente Reis, e o subsecretário do Centro Histórico (SEMC), Glauco Francesco, em reunião com os trabalhadores no auditório da secretaria do trabalho, na rua Carvalho Paes de Andrade, bairro São Francisco, Zona Sul.

Sem notificação

Conforme Martins, em nenhum momento os manifestantes haviam recebido qualquer notificação ou feito qualquer acordo para saírem da praça. “Estamos em crise, e nos retirando deste nosso local de trabalho, só irá nos prejudicar, queremos uma solução, antes que algo pior possa acontecer, como perder nosso único meio de sustentar a família”, reforçou. Os manifestantes foram atendidos pelos secretários na sede da prefeitura.

O titular da Semtef, informou que, hoje, a prefeitura deve receber em Manaus a visita de um representante nacional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que vai assinar o Termo de Cooperação Técnica com o prefeito Arthur Virgílio Neto para o começo das obras da Praça.

Todos os 45 artesãos vão receber bolsa auxílio no valor de R$ 1 mil e uma cesta básica mensal pelo tempo em que estiverem trabalhando de forma previsória, até que a prefeitura tenha um local que deve ser construído para os artesãos. Segundo a prefeitura, eles concordaram em retirar seus produtos e deixar as barracas até a próxima quarta-feira, quando a Praça será tapumada para a reforma.

Na próxima sexta-feira (14) haverá nova reunião, quando os representantes da categoria vão apresentar sugestões de espaços que possam ser ocupados de forma definitiva pelos artesãos.

Em números, 45 artesãos que trabalham na praça Tenreiro Aranha, serão realogados para a rua José Clemente, Centro. A previsão era para a última segunda-feira, mas a Secretaria Municipal de Trabalho, Empreendedorismo, Abastecimento, Feiras e Mercados (Semtef) adiou para amanhã a mudança.

Publicidade
Publicidade