Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
HABITAÇÃO

Prefeitura e governo federal assinam contrato para construção de 500 casas

O conjunto habitacional Cidadão Manauara II deverá ser construído em uma área de 25 mil metros quadrados no bairro Santa Etelvina, Zona Norte da capital



28319969179_b19acddb53_z.jpg Foto: Divulgação
05/02/2018 às 14:38

A Prefeitura de Manaus e o Ministério das Cidades assinaram na manhã desta segunda-feira (5) um contrato da ordem de R$ 48 milhões para a construção de 500 casas em um conjunto habitacional na capital amazonense. Denominado Cidadão Manauara II – Etapa A, o conjunto deverá ser construído em uma área de 25 mil metros quadrados no bairro Santa Etelvina, Zona Norte. A entrega das unidades habitacionais está prevista para 2019.

O contrato do projeto foi assinado pelo prefeito de Manaus, Arthur Neto, pelo ministro das Cidades, Alexandre Baldy, e pelo presidente da Caixa Econômica Federal, Guilherme Ochii. Os recursos são oriundos do programa “Minha Casa Minha Vida”. Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, Manaus e São Luís (MA) foram as únicas capitais brasileiras que conseguiram viabilizar a assinatura do contrato pelo Minha Casa, Minha Vida neste início de 2018.

As unidades habitacionais serão divididas em, aproximadamente, 50 metros quadrados, com sala, dois quartos, cozinha e banheiro social. A primeira etapa possuirá três quadras e 25 blocos, portaria, área de recreação, playground, estação de tratamento de água e esgoto, além de estacionamento. Os beneficiados serão famílias carentes, que possuem renda familiar de no máximo três salários mínimos.

De acordo com a prefeitura, já existe, inclusive, um cadastro de 100 mil pessoas que buscam por uma moradia, conforme explicou o subsecretário municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (Subhaf). “As quinhentas pessoas contempladas serão oriundas desse cadastro. Daremos prioridade às pessoas que veem de área de risco e de baixa renda, de zero a R$ 1.800”, detalhou José de Arimatéia Viana.

Segundo a Prefeitura de Manaus, a administração municipal arcará com R$ 7 milhões como contrapartida do custo da obra. A quantia é referente ao valor do terreno e à renúncia fiscal que a prefeitura concederá à construção das unidades habitacionais de interesse social. A propriedade dos imóveis construídos será transferida pelo donatário para cada um dos beneficiários, segundo as regras estabelecidas no “Minha Casa, Minha Vida”.

‘Dever de casa’

Durante a assinatura do contrato, o prefeito Arthur Neto afirmou que a cidade de Manaus “fez o dever de casa” para garantir os recursos e o projeto de habitação. “Queremos começar a obra já. Vamos fazer o Manauara 2 e já obtivemos do presidente da Caixa Econômica e do ministro das Cidades uma perspectiva muito eminente de fazermos o Manauara 3”, afirmou Arthur Neto.

O ministro das Cidades explicou que novos investimentos devem acontecer no Estado do Amazonas, dada a retomada econômica do país. “Estaremos promovendo uma nova seleção para investimentos em 2018, no aspecto do ‘Minha Casa Minha Vida’, dado o momento econômico e, especialmente, o ajustamento das contas públicas. Queremos celebrar essas 500 casas como o início, para que possamos ter outras possíveis metas de habitações”, disse Alexandre Baldy.

*Com informações da assessoria de imprensa

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.