Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
pressão

Sinetram diz que se empresas pagarem impostos, tarifa será recalculada

Governo do Amazonas decidiu suspender isenção do ICMS por entender que aumento da tarifa feriu acordo firmado entre empresas, Governo e Prefeitura



_NIBUS.JPG
(Foto: Evandro Seixas)
27/01/2017 às 16:35

O assessor jurídico do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), Fernando Borges, afirmou na tarde desta sexta-feira (27), que o valor da nova tarifa de R$ 3,30 será recalculado caso o Governo do Estado de fato suspenda a isenção do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e remissão do Imposto Sobre Propriedade de Veículo Automotor (IPVA). A decisão do Governo foi anunciada hoje, após a Prefeitura de Manaus ter anunciado o aumento da passagem.

Como o Governo do Estado vai passar a cobrar os impostos que desde 2004 estão isentos,o representante das empresas diz que a tarifa precisará passar por alteração. 

“Acabamos de saber pela imprensa que o Governo irá suspender essa verba. Se isso efetivamente vier acontecer, certamente vai ter impacto na nova tarifa. A Prefeitura de Manaus e a SMTU vão recalcular o valor, certamente”, explicou Fernando.

Fernando também ressaltou que os subsídios pagos pela Prefeitura de Manaus e o Governo do Estado são para reduzir os valores da tarifa.

 “Qualquer suspensão de subsídio recai sobre a passagem. O bolso do consumidor que sofre com tudo isso. Os empresários vão pagar mais. Vai ter aumento de custo. Aumento na tarifa. É a economia”, disse o assessor acrescentando que o Governo do Estado fez uma decisão política. “Os empresários não podem fazer nada, pois isso foi uma decisão política”, disse.  


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.