Publicidade
Manaus
Mudanças transporte público

Prefeitura quer instalar recarga a bordo dos ônibus em seis meses

Prefeito convoca coletiva e promete ainda construir abrigos em todas as paradas de ônibus e recuos em ruas e avenidas 18/06/2013 às 10:11
Show 1
Objetivo do sistema é acabar com o problema do troco e diminuir os assaltos dentro dos coletivos
Jaíze Alencar Manaus

Seis meses é o prazo que a Prefeitura de Manaus prevê para começar a instalar e testar, nos ônibus, um sistema que permite a recarga das carteinhas estudantis e do Passa-Fácil dentro dos coletivos: é a “Recarga a bordo”.

O sistema pretende acabar com o problema do troco e diminuir os assaltos dentro dos coletivos. Enquanto isso não acontece, a prefeitura já determinou que o Sindicato das Empresas de Transporte de Manaus(Sinetram) recorra aos bancos para garantir o troco à população, e que em dois dias todos os ônibus estejam adesivados, informando o reajuste da passagem.

Os terminais da Constantino Nery e Cachoeirinha, que estão em situação precária, deverão ser desativados quando o sistema “Recarga a bordo” estiver em funcionamento.

A partir do dia 2 de julho começa, em Manaus, uma bateria de obras visando dar dignidade aos usuários do transporte coletivo e aos condutores da cidade. Mas cerca de 2 mil ruas não poderão receber a ação “tapa buraco”  pelo fato de estarem tão debilitadas que só um novo recapeamento para resolver o problema dessas vias. Sendo assim, o prefeito pretende recapeá-las futuramente, intervindo, inclusive, nas bases e sub-bases.

De acordo com o prefeito de Manaus, Artur Neto, também “serão construídos abrigos decentes nas paradas de ônibus, e não aqueles escombros, ruínas, onde o usuário pega sol e chuva”. Obras de apoio que terão início em agosto, com a construção da baia (área demarcada para o embarque e desembarque de passageiros) na avenida Djalma batista, em frente às escolas Idaam, e no bairro Parque Dez,  em frente ao bar Galvez, a exemplo do que foi feito em alguns pontos da cidade. Será construída uma via de 300 metros interligando a avenida do Turismo à Ponta Negra, via condomínio Alphaville, para facilitar o acesso de visitantes e moradores.

A prefeitura também iniciou curso de capacitação para motoristas do transporte coletivo. A intensão é diminuir o índice de acidentes por imprudência dos motoristas do transporte público. Até o final do ano Manaus vai receber 180 novos ônibus equipados com elevadores para facilitar o acesso de idosos e deficientes, garantiui ontem o prefeito.

‘Canal’ para reclamações de usuários

A campanha “Transporte Cidadão”, que está sendo realizada nos terminais de ônibus para mudar o comportamento dos usuários do transporte público, tem servido de canal para reunir críticas da população. Os usuários que são abordados pelos agentes da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) aproveitam para mostrar a indignação contra a demora e lotação nos coletivos, além do desrespeito de motoristas que não param nos pontos, entre outros problemas que vivenciam diariamente.


Para a universitária Josiane Queiroz, 26, a campanha é válida, mas o cidadão que usa e paga pelo transporte precisa primeiro ser respeitado com um sistema de qualidade. “Não adianta distribuir folder e conversar os usuários para que mudem o comportamento. Se os usuários são revoltados é porque não têm nem de longe um transporte de qualidade.

Quem fez essa campanha está sentado numa sala com ar-condicionado e anda de carro, enquanto que o cidadão sofre todo o dia com ônibus lotado, ignorância de alguns motoristas e espera que não termina”, disse.
O pedreiro Juraci Almeida, 42, pediu aos agentes da SMTU que a ação seja permanente e que se foque nos trabalhadores do transporte coletivo. “O nome da campanha é ‘Transporte Cidadão’, pois que nos tratem também como cidadão porque quem anda que nem sardinha nesses ônibus não é tratado sequer como ser humano, quem dirá cidadão”, disse.

Na segunda-feira(17), a ação foi levada ao Terminal de Integração 3, na Cidade Nova, e em poucos minutos dezenas de críticas foram feitas.
A coordenadora da ação, Keiley Brasil, explicou que a SMTU lançou a campanha para alcançar um transporte mais humano tanto para usuários quanto para motoristas e cobradores. Ela explicou que os motoristas e cobradores estão sendo treinados em sala de aula para tratar melhor os usuários. Na última semana, foram 97 rodoviários e esta semana serão 110 que participarão do treinamento. Eles são submetidos a situações em que se transformam em usuários de ônibus: fazem testes como idosos, deficientes visuais, gestantes e cadeirantes nos ônibus.

Sem camelôs, Zona Azul sai antes da Copa

O prefeito acredita que os camelôs do Centro de Manaus devem sair consensualmente para o local onde será construído o Shopping Popular. Somente após essa retirada acontecerá a efetivação da Zona Azul, prevista para ser concluída antes da Copa de 2014.

A medida pretende colocar em ordem o Centro Histórico de Manaus, recuperar calçadas e liberar o passeio público, que é uma das exigências para as cidades sedes do Mundial de futebol que acontece há menos de um ano. O projeto será lançado na próxima semana.

o Sistema de Estacionamento Rotativo Pago, denominado “Zona Azul”,  vai cobrar R$ 2 a hora e deve arrecadar mais de R$ 1,75 milhão, ao mês, para cada uma das 3,7 mil vagas previstas para serem ofertadas.

Serão 48 ruas da capital, sendo 37 delas no Centro Histórico e outras 11 no conjunto Vieiralves e São Geraldo, ambos na Zona Centro-Sul. A permanência máxima de cada veículo por vaga será de duas horas.

O sistema funcionará entre 8h e 18h de segunda a sexta e, aos sábados, das 8h às 17h. Aos domingos e feriados não haverá cobrança.

Publicidade
Publicidade