Publicidade
Manaus
Manaus

Prefeitura supera fase de projetos e consegue recursos federais para reformar patrimônios públicos

Estão programadas obras de restauração da Praça Tenreiro Aranha e das ruas do entorno do Mercado Adolpho Lisboa, no Centro de Manaus 12/08/2015 às 10:33
Show 1
Entre as ruas do entorno do Mercadão que serão reformadas está a Travessa Tabelião Bessa
Isabelle Valois Manaus

O projeto de revitalização da praça Tenreiro Aranha e o entorno do mercado municipal Adolpho Lisboa foi apresentado na manhã de ontem, pelo diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Roberto Moita, em uma reunião entre os secretários  municipais, o prefeito Arthur  Neto (PSDB), o superintendente do Instituto Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Almir de Oliveira, e o coordenador nacional do PAC Cidades Históricas, Robson de Almeida. A reunião ocorreu no Paço Municipal, Centro.

Para a revitalização da praça Tenreiro Aranha, Moita explicou que está prevista a adequação dos espaços quanto às normas de acessibilidade, instalação de novo sistema de iluminação pública iguais aos que estão sendo colocados nas ruas de Manaus, sinalização, mobiliário urbano e paisagismo.

O projeto também prevê o resgate da arquitetura utilizada no período da década de 1920. Moita informou que a reforma se estende ao Pavilhão Universal, que antes servia como um ponto central de artesanato indígena, mas desta vez irá ser um meio de informação turística sobre passeios e demais assuntos.

Em sua apresentação, o diretor-presidente informou que os projetos de revitalização se estendem para o entorno do Mercado Municipal Adolpho Lisboa que inclui as ruas dos Barés, Barão de São Domingos, Miranda Leão, Travessa Tabelião Lessa, avenida Manaus Moderna e da Praça do Mercado.


A Praça Tenreiro Aranha também será restaurada

“A obra irá resgatar os elementos originais de pavimentação das calçadas e ruas, valorizando o ambiente e a arborização da área com Ipês”, informou Moita.

O coordenador nacional do PAC cidades Históricas, Robson de Almeida, informou que Manaus demorou a receber investimento por causa da falta de projetos concluídos. “Nosso grande gargalo são projetos prontos, e Manaus por um bom tempo não havia projetos, e que pudessem ser investido orçamento federal, mas agora estão na busca de 10 projetos”, explicou.

O superintendente do IPHAN, Almir de Oliveira, explicou a importância da revitalização e do resgate histórico para uma cidade como Manaus e garantiu que o órgão vai trabalhar com a prefeitura para aproximar a história de Manaus e a população.

O titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), Antônio Nelson, informou que a reforma do Centro está com base de 10 projetos. Entre essas obras, já iniciaram a praça da Matriz, a praça Adalberto Vale e agora entra em conjunto a praça Tenreiro Aranha e as ruas próximas ao mercado municipal.

Av. Eduardo Ribeiro é o novo alvo

O prefeito Arthur Neto (PSDB) informou que, além da revitalização das praças e o entorno do mercado, pretende apresentar novas propostas de revitalização para o Centro de Manaus. Entre as ideias, o prefeito contou que projeta o retorno da avenida Eduardo Ribeiro para um período da Belle Epoque.


Av. Eduardo Ribeiro está nos planos de reforma

“Para resgatar a história da avenida Eduardo Ribeiro, no período da Belle Epoque, vamos precisar que os prédios passem por uma reforma nas fachadas. Além da avenida, também planejamos resgatar a nossa história com uma revitalização na Câmara Municipal e também ao Cabaré Chinelo”, comentou.

O prefeito garantiu que a reforma da avenida Eduardo Ribeiro será feita com recursos da própria prefeitura e está prevista para este período do verão.

Artesãos: situação indefinida

Os artesãos, que há 20 anos trabalham na praça Tenreiro Aranha, não receberam nenhuma  informação sobre o destino deles.

De acordo com  Azmy Sulainan, os artesãos são a favor da reforma, mas estão preocupados com  a situação de 46 deles. “Em nenhum momento estamos contra a reforma, pois é notável que a praça precisa dessa reforma, mas precisamos nos respaldar com uma documentação. Os secretários não nos procuram, o que sabemos sempre é o que está nas mídias”, disse.

Na apresentação do projeto, o prefeito Arthur Neto (PSDB) garantiu que do total de artesãoS, 20 vão ter um espaço na galeria dos Remédios, enquanto os outros vão ficar por um tempo provisório na rua José Clemente, Centro.

Publicidade
Publicidade