Publicidade
Manaus
ELEIÇÕES 2018

Presidenciáveis visitam Manaus e usam capital do Amazonas como ‘vitrine’

O ministro Henrique Meirelles e o prefeito de São Paulo, João Doria, já visitaram a cidade; o deputado Jair Bolsonaro chega esta semana; Lula e Marina Silva visitam Manaus em breve 09/12/2017 às 20:36 - Atualizado em 10/12/2017 às 09:34
Show show lula e bolsonaro
Deputado federal Jair Bolsonaro recebeu em dezembro de 2015 homenagem na ALE. Lula visita Manaus no início de 2018. Foto: Foto: Reprodução Internet
Geizyara Brandão e Janaína Andrade Manaus (AM)

Maior reduto eleitoral da região Norte, com 1,2 milhão de eleitores, Manaus foi incluída, nesse fim de ano, no roteiro de divulgação de quatro pré-candidaturas à Presidência da República. A temporada de pré-campanha foi aberta pelo prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), seguido do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC), que chega esta semana, e da ex-senadora Marina Silva (REDE), que deverá passar pela capital em breve. 

Faltando pouco menos de 11 meses para a disputa de 2018, o prefeito João Doria esteve em Manaus no dia 10 de novembro onde ministrou palestra sobre gestão eficiente a uma plateia de 300 pessoas, entre políticos e empresários num evento promovido por um conjunto de entidades empresariais do Amazonas, como Cieam, Fieam e Fecomércio. Doria visitou a fábrica da Honda, no Distrito Industrial.

O prefeito  busca consolidar-se como candidato do PSDB, mas terá que vencer primeiro a disputa interna em sua legenda.  Um dos principais concorrentes é o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, seu padrinho político. Doria posicionou-se a favor das reformas trabalhista e da Previdência. Em entrevista para o Portal A Crítica sustentou que os partidos precisam se unir contra “extremismos”, em referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Bolsonaro. No dia 5, pesquisa Datafolha apontou salto de  13% para 39% na reprovação de sua gestão. 

Na última quinta-feira (7), foi a vez do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), desembarcar em Manaus para realizar palestra no auditório da Fieam sobre a economia brasileira e desafios futuros. O público alvo foi o mesmo de Dória – políticos e empresários e o discurso, o mesmo: em defesa das reformas do governo Temer. 

Meirelles  é cotado para disputar a presidência da República. Em entrevista à Veja disse que decidirá a questão no próximo ano. O ministro será o protagonista do próximo programa do PSD, que deve ser veiculado ainda este mês. A propaganda deve destacá-lo como o responsável pela recuperação da economia brasileira.

Debates

Terceira candidata mais votada nas eleições de 2014, a ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, precisou cancelar sua visita a Manaus, neste sábado (9), onde participaria, ao lado de Heloísa Helena, de seminário que debateu o uso de recursos naturais.  O evento faz parte da série de debates que a Fundação Rede Brasil Sustentável está promovendo em várias regiões do País, em torno de 18 eixos estratégicos para a construção de uma plataforma de políticas públicas voltadas para um Brasil sustentável.

Diferente de Dória e Meirelles, Marina já foi testada numa eleição para a Presidência, e conquistou no último pleito 20 milhões de votos.

Palestra

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) chega a Manaus às 10h45 da próxima quinta-feira. Nas pesquisas de intenção de voto, ele só fica atrás do ex-presidente Lula. O parlamentar dará entrevista às 14h no Hotel Blue Tree e depois irá proferir palestra sobre “Potencialidades da Amazônia”. Às 18h  participa da Formatura dos alunos do ensino médio do Colégio Waldocke Lira, administrado pela Polícia Militar. À noite, viaja para o município de Manacapuru. No final de 2015, quando recebeu comenda da ALE-AM, Bolsonaro foi alvo de protestos de entidades defensoras dos direitos humanos.

Visita de Lula marcada para 2018

O Amazonas também está na rota do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que também é um dos pré-candidatos à Presidência. A expectativa era de que Lula estaria na capital amazonense no final de novembro ou início de dezembro, mas, de acordo com o deputado estadual José Ricardo Wendling (PT), houve uma reprogramação e a vinda do ex-presidente pode ocorrer nos primeiros meses de 2018.

Na mais recente pesquisa do Datafolha, Lula lidera com 34% nas intenções de votos no primeiro turno. Em Manaus, ao concorrer em 2006 para a reeleição, Lula garantiu 87,34% dos votos contra 12,65% de Geraldo Alckmin (PSDB).

Explicando a popularidade do ex-presidente no Amazonas, Wendling afirma que decorre dos programas sociais de seu governo. “Aqui é um dos Estados que ele teve maior votação proporcional  e depois pelo reconhecimento por tudo o que ele fez para a população, os programas sociais, as obras. Há um reconhecimento muito grande da população quanto à boa administração dele em prol do Estado”, disse.

A candidatura do ex-presidente pode esbarrar no julgamento em segunda instância do processo em que foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá. Caso seja condenado, deve ser enquadrado na lei da ficha limpa.

ANÁLISE: Carlos Santiago - Cientista social graduado pela Universidade Federal do Amazonas

Com a diminuição do tempo da campanha eleitoral de 90  para 45 dias, após a minirreforma, os presidenciáveis precisam visitar localidades que não tenham grande eleitorado enquanto ainda são pré-candidatos, segundo o cientista político Carlos Santiago.

“Todos estão vindo no ano de 2017 porque uma vez  viabilizadas as candidaturas à presidente da República, eles dificilmente virão novamente ao Amazonas, porque tem pouco impacto na eleição presidencial a vinda. Eles aproveitam a pré-candidatura, o período pré-eleitoral e até uns anos antes para ir nos lugares mais distantes, nos lugares com um tamanho de eleitorado baixo, porque não terão outra oportunidade quando começar mesmo a campanha eleitoral em si. Do ponto de vista do eleitor, acho que é o que menos importa para eles, porque todos os pré-candidatos que estiveram aqui não conversaram com o povo, preferiram conversar com os empresários, dar entrevistas aos meios de comunicação”.

BLOG: Cleiton Maciel - Doutor em sociologia pela Universidade Federal de São Carlos

“A estratégia  é politicamente calculada: não se trata de conhecer o País, mas ser conhecido pelo País e trocar figurinhas com elites locais.    E as andanças pelas capitais são sintomáticas disso. Manaus, neste processo, pela concentração eleitoral, se torna um espaço importante para se angariar esses apoios, adequando-se, por um lado, o discurso ao que as elites do lugar reclamam. No nosso caso, é a sobrevivência e preservação da Zona Franca de Manaus (ZFM), que é colocada como clamor e utopia da população manauara e amazonense, de maneira geral. E pelo o que se viu até aqui, os discursos dos presidenciáveis, de forma geral, girarão no entorno desse tema, já que, para os dirigentes daqui, problemas como a precariedade do transporte, a falta de saneamento, de saúde e educação de qualidade, é solucionável via aprofundamento da ZFM”.

Publicidade
Publicidade