Publicidade
Manaus
Reunião

Presidente da SBCP vem a Manaus pedir investigação sobre suposto tráfico de órgãos

A suspeita envolve vítimas de cirurgias plásticas realizadas na Venezuela, como o caso da parintinense Dioneide Leite, 36, que morreu em setembro na cidade de Puerto Ordaz. A reunião acontece nesta sexta-feira (14) no Hotel Caesar Business 13/10/2016 às 19:49 - Atualizado em 13/10/2016 às 20:18
Show v tima
Dioneide Leite morreu na madrugada de terça-feira, depois de ter complicações durante cirurgias plásticas na Venezuela. Foto: Divulgação
Rafael Seixas Manaus (AM)

Representantes da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) se reunirão nesta sexta-feira (14), às 12h, no Hotel Caesar Business, no bairro Chapada, na Zona Centro-Sul de Manaus, com grupos representativos do Estado do Amazonas para definir as medidas judiciais que serão tomadas com a finalidade de apurar suposto crime de tráfico de órgãos, envolvendo mulheres vítimas de cirurgias plásticas realizadas na Venezuela.

No encontro estarão integrantes da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Amazonas (OAB-AM), da Associação Médica Brasileira, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), do Ministério Público do Estado (MPE-AM) e da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM).

A iniciativa se deu após a morte de brasileiras, principalmente amazonenses e roraimenses, nas cirurgias plásticas realizadas na Venezuela e cujos corpos retornaram ao Brasil sem os órgãos, impossibilitando as autoridades brasileiras a fazerem perícias, o que levou às suspeitas de ocorrência de tráfico de órgãos.

No dia 12 de setembro deste ano, a parintinense Dioneide Leite, 36, morreu na cidade de Puerto Ordaz, na Venezuela, depois de passar por várias cirurgias plásticas, como implantação de próteses mamárias, abdominoplastia e lispoaspiração.  A suspeita da família é de que, durante a lipo, feita pelo médico venezuelano Oscar Hurtato, o pulmão de Dioneide tenha sido perfurado. 

No velório da comerciante no município de Parintins, muitos familiares e amigos passaram mal por conta das deformidades presentes no corpo. “Todos ficamos chocados, pois ela está irreconhecível. Nem acreditam que é ela. Eles [equipe responsável pela cirurgia] acabaram com ela”, disse um primo de Dioneide, que preferiu não se identificar, na época.

No dia 18 do mesmo mês, a roraimense Adelaide Silva veio a óbito durante a realização de cirurgias plásticas com Oscar Hurtato em Puerto Ordaz. No período, a SBCP tomou o conhecimento de denúncias que o corpo da paciente teria chegado a Roraima sem os rins.

Participarão da audiência o presidente da SBCP, Luciano Chaves, o coordenador jurídico da Associação Médica Brasileira, Dr. Carlos Michaelis Jr, o presidente da OAB-AM, Marco Aurélio Choy, o juiz substituto da presidência do TJAM, Dr. Flávio Henrique Freitas; a representante do MPE-AM, Promotoria da Saúde, Dra. Isabel Cristina Chrisóstomo e o defensor público da Defensoria da Saúde, Maurílio Casas Maia.

Publicidade
Publicidade