Publicidade
Manaus
CRIME NO VIEIRALVES

Preso na UPP deu ordem para matar maquiador; motivo continua desconhecido

De acordo com a polícia, em 2011 a irmã do maquiador foi morta na sua frente e a DEHS estuda a possibilidade dos crimes estarem relacionados 13/09/2017 às 11:19
Show  ndice
(Foto: Jander Robson)
Dani Brito Manaus (AM)

A Polícia Civil divulgou na manhã desta quarta-feira (13), o nome do mandante da morte do maquiador João Felipe de Oliveira Martins, ocorrido no dia 30 de agosto, em um salão de beleza localizado no bairro Vieiralves, zona Centro-Sul da cidade.

Trata-se de José Matheus da Costa Vieira, o "Sapo", que já se encontra preso na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), pelo crime de homicídio. A confirmação do nome dele veio após o depoimento do autor dos disparos, Diego Sabino de Araújo, 27, o "coqueirinho", preso na última segunda-feira (11), no município de Careiro da Várzea.

De acordo com o delegado Juan Valério, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), a ordem partiu de dentro do sistema prisional, porém, a motivação permanece desconhecida. "Já tínhamos indícios de que o Sapo era o mandante e a certeza veio com a confirmação do Diego. Em depoimento de disse que recebeu uma ligação com a ordem para matar o maquiador. Ele confessou ainda que não recebeu nada pelo serviço e que o fez porque faz parte da irmandade do crime e é subordinado ao Sapo", destacou.

Ainda segundo o delegado além de José Matheus, Diego e Gessica, que foi presa no último sábado (9), ainda faltam ser identificados mais cerca de quatro pessoas, que participaram da logística do crime.

Durante coletiva o delegado informou também que a autorização para a morte de João Felipe foi feita por um traficante identificado como "Melk", que comanda o tráfico no bairro Mauazinho.

Irmã também foi executada

Em 2011, a irmã de José Felipe, identificada apenas como "Cristina", também foi vítima de um homicídio. O crime ocorreu na frente do maquiador, que na época tinha 14 anos de idade. O mandante do crime dele é a mesma pessoa que teria envolvimento na morte de dê Cristina.

"Ainda não temos como afirmar se o crime tem ligação, até mesmo porque o processo da morte da Cristina corre em segredo de justiça. Mas iremos pedir pela prisão dele (José Matheus) e levá-lo a DEHS para que ele nos esclareça a motivação do crime", destacou Juan Valério.

Publicidade
Publicidade