Publicidade
Manaus
PENITENCIÁRIAS

Preso tenta se matar durante transferência de detentos de Borba para Manaus

O infrator usou um objeto cortante e se justificou dizendo que não queria ser transferido para um presídio da capital 14/12/2018 às 17:29
Show whatsapp image 2018 12 13 at 18.37.28 fd682a5b 8c69 4b53 a58d de9ab018c64f
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Um preso custodiado na carceragem da 74ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), situada em Borba (a 151 km da capital), tentou se matar durante a transferência de dez detentos do município para Manaus nessa quinta-feira (13).

Segundo o diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), delegado Henrique Brasil, o detento utilizou um objeto perfurocortante, mas acabou impedido pelas equipes policiais que participaram da transferência.

O infrator argumentou que não queria ser transferido para Manaus, em razão disso, cometeu o ato.

Transferência

Ao todo, dez presos que estavam custodiados em Borba foram transferidos para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), localizado no km 8 da BR-174 (Manaus - Boa Vista).

A ação contou com a participação de policiais civis e militares, além de agentes da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). De acordo com o diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), delegado Henrique Brasil, os detentos cumpriam pena naquela unidade policial por crimes distintos.

“A transferência foi realizada visando o bem-estar dos detentos e a segurança da população. A decisão foi tomada, principalmente, pelo fato do titular da 74ª DIP verificar a necessidade desses detentos, que foram condenados a mais de cinco anos prisão, estarem recolhidos em unidades de segurança média ou máxima. Por isso, foi realizada a transferência desses presos para Manaus”, justificou Henrique Brasil.

As equipes chegaram em Manaus com os detentos por volta das 17h. Os infratores foram submetidos à Identificação Criminal no Instituto de Identificação (II), exame de Corpo de Delito no Instituto Médico Legal (IML) e, em seguida, foram levados ao CDPM, onde irão permanecer à disposição da Justiça.

Publicidade
Publicidade