Publicidade
Manaus
ASSASSINATO

Principal suspeita para assassinato do advogado Armando Freitas é latrocínio

A arma de fogo usada no crime foi entregue à Polícia Civil. Caso é investigado pelas delegacias de Homicídio (DEHS) e de Roubos e Furtos (Derfd) 04/05/2018 às 14:36 - Atualizado em 04/05/2018 às 14:42
Show ok
Foto: Winnetou Almeida
acritica.com Manaus (AM)

A principal suspeita para o assassinato do ex-deputado estadual e advogado Armando de Oliveira Freitas, 79, morto com três tiros na manhã desta sexta-feira (4), em Manaus, é de latrocínio. A arma de fogo utilizada no crime já foi entregue à Polícia Civil do Amazonas e o caso está sendo investigado pelas delegacias especializadas em Homicídios e Sequestros (DEHS) e de Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd).

O crime aconteceu dentro do escritório de advocacia da vítima, na rua Presidente Dutra, bairro Glória, Zona Oeste. Após entrar no local e matar o advogado, o autor dos disparos tentou fugir. Porém, ao sair, ele teria tropeçado e deixado a arma cair no chão. Um homem que passava pelo local, conhecido da vítima e irmão da advogada Jeane Fernandes, tentou intimidar o assassino pegando a arma e atirando uma vez, sem sucesso. O assassino fugiu e o homem interventor também se evadiu deixando a arma de fogo para trás.

De acordo com um investigador da Polícia Civil, a arma deixada no local foi retirada pela Polícia Militar e entregue para a equipe de investigação da DEHS. “A arma foi jogada no chão e a PM, quando chegou aqui, fez a remoção. Ela já nos foi repassada e agora será levada para a perícia”, contou o policial civil.

Conforme o delegado Rodrigo Azevedo, adjunto da DEHS, a equipe da especializada esteve no escritório de advocacia fazendo levantamento das informações preliminares. O delegado informou que o crime pode tratar-se de latrocínio e, por conta disso, as equipes da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd) foram acionadas.

Já o delegado Adriano Felix, titular da Derfd, informou que as duas unidades policiais estão trabalhando em conjunto para descobrir a motivação do delito, além de identificar e prender os autores. O titular da Derfd falou ainda que as investigações em torno do caso estão e andamento e que as equipes policiais realizam diligências para elucidar o crime.

Não resistiu

Após ser baleado, o advogado Armando Freitas foi socorrido e levado ainda com vida para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, mas ele não resistiu. O filho de Armando, o também advogado Glen Wilde do Lago Freitas, contou à reportagem do Portal A Crítica como tudo aconteceu.

“Eu estava na parte debaixo e ouvi os disparos. Depois meu pai gritou ‘Glen, me mataram’. Foram três tiros. Tenho certeza que o crime foi encomendado. Os criminosos estavam esperando meu pai chegar”, afirmou Wilde. “Eu logo socorri o meu pai e trouxe para o hospital. Não sei o que aconteceu, minha família está muito abalada. Vi um homem correndo, mas não consegui o identificar”, completou.

Nota da OAB

A OAB-AM divulgou uma nota lamentando com profundo pesar a morte do advogado Armando de Oliveira Freitas. “A OAB representada pelos mais de 13 mil advogados inscritos na seccional do Amazonas repudia toda e qualquer forma de violência praticada contra a vida humana em especial aos advogados. A entidade está acompanhando o andamento das investigações e está prestando total e irrestrito apoio aos amigos e familiares do advogado”.

*Colaborou Larissa Golvin, Oswaldo Neto, Vinícius Leal e Amanda Guimarães

Publicidade
Publicidade