Publicidade
Manaus
Manaus

Principal suspeito da morte de atendente vai até a delegacia negar crime

Ao A Crítica, ele negou todas as acusações e disse acreditar que quem matou Cleolene foi o ex-marido dela, Ricardo Nascimento 20/03/2015 às 10:49
Show 1
Aldiney foi até a DEHS para negar a autoria do crime que vitimou a atendente
Fábio Oliveira Manaus (AM)

O agente de portaria Aldiney Souza do Nascimento, 26, apontado pela Polícia Civil como principal suspeito da morte de Cleolene da Silva Rabelo, 24, encontrada morta na noite de quarta (18), com uma faca cravada no pescoço, no Centro de Manaus, está neste momento na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) para prestar depoimento.

Em entrevista, ele negou todas as acusações e afirmou acreditar que quem a matou foi o ex-marido, Ricardo Nascimento. Aldiney admitiu que teve uma briga no último domingo com a vítima na praia da Ponta Negra, mas negou ter agredido fisicamente a ex-namorada.

Disse também que ficou sabendo do crime por meio de uma notícia em uma rádio local. Aldiney contou que foi comunicado por uma amiga que sua foto estava em jornal da cidade e resolveu procurar a Polícia para se defender.

"Eu trabalho em um condomínio onde uma delegada da DEHS reside, então entrei em contato com a administradora do prédio e pedi pra chamá-la. Ela então acionou o delegado Ivo e eu vim por livre e espontânea vontade", explicou. Ele será ouvido agora.

O crime

A atendente de pastelaria Cleolene da Silva Rabelo, de 27 anos, foi encontrada morta com uma faca cravada no pescoço na noite desta quarta-feira (17). Ela estava nua, em cima de sua cama, com um lençol no rosto e um fio elétrico enrolado em volta do pescoço.

Publicidade
Publicidade