Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
más condições

Procurador-geral critica Vidal Pessoa, mas faz ressalva: ‘o importante é preservar a vida’

Autoridades visitaram a Cadeia Pública, que estava desativada, e constataram péssimas condições; detento gritou 'PCC' quando chegou ao presídio



WhatsApp_Image_2017-01-04_at_18.36.42.jpeg Fiscalização na Vidal demorou cerca de 40 minutos (Fotos: Antônio Lima)
04/01/2017 às 19:31

O procurador geral de Justiça, Pedro Bezerra, disse que as condições de alojamentos da cadeia pública Raimundo Vidal Pessoa não são apropriadas. Ele relatou que todo o prédio está bastante deteriorado, mas que por enquanto está foi a única alternativa para dar segurança ao presos ameaçados."Não é a melhor solução, mas é o que o Governo pode oferecer", disse ele. 

Segundo o procurador-geral, o MP vai acompanhar de perto os trabalhos de acomodação dos presos e ele acredita que até o fim da semana, um dos raios seja arrumado para comportar todos os detentos. A expectativa é  que fiquem sete presos em cada cela. Por enquanto, eles estão  alojados  em uma área onde antes funcionava como área de convívio social.

Sérgio Fontes informou que a Vidal Pessoa não receberam presos comuns, apenas os que estavam sendo ameaçados. No fim da tarde outros cinco detentos do Centro de Detenção  Provisória (CDP) foram transferidos para a cadeia pública. Um deles, ao chegar, gritou: "PCC". Para o procurador, no entanto, o menos importante é saber se são presos ligados a facções. "Nós não trabalhamos com siglas, trabalhamos com seres humanos. Eles precisam de respeito  e de condições melhores"

Participaram da inspeção além do procurador geral, o corregedor geral do MP, José Roque, cinco promotores e o desembargador Sabino Marques. 

Pedro Bezerra, apesar de constatar a situação precária, mostrou confiança em melhorias. "O importante é preservar a vida, e o que tem aqui dá para ser melhorado". 

Prazos

O Secretario de Segurança Pública, Sérgio Fontes, disse que em até 72 horas alguns problemas estruturais da Vidal devem ser resolvidos. Ele afirmou que após as melhorias que estão sendo feitas, devem ficar sete presos em cada cela da cadeia, que estava desativada.  "Eles compreendem que essa é a situação deles, mas sabem que vão ter que esperar um pouco. Pelo menos eles estão com a integridade física garantida. Eles estão confortáveis aí? Claro que não. Mas não estão sendo maltratados e não correm riscos aí", disse o secretário.".

De acordo com Fontes, a tendência é que os detentos fiquem por, no máximo, dois meses na Vidal Pessoa e sejam transferidos para uma segunda unidade do Centro de Detenção Provisória Masculino, que segundo ele tem 82% das obras concluídas.  

Fontes afirmou ainda que os detentos poderão usar ventilador nas celas - "porque é muito calor lá dentro" - mas que no momento os materiais estão confiscados em uma sala.  Em conversa com familiares, Fontes relatou a necessidade de kits de higiene para os presos, já que a cadeia não possui o material necessário. 

O secretário de Segurança afirmou, ainda, que policiais militares estão ajudando na guarda dos detentos na Vidal.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.