Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
Manaus

Procuradoria vai analisar prorrogação das permissões da Ponta Negra

Segundo o prefeito Artur Neto, a Associação reivindica prazos para se ressarcirem dos prejuízos que tiveram quando pararam durante a construção da primeira etapa



1.jpg Segundo o presidente da Cooperativa dos Comerciantes da Ponta Negra, Wollder Souza, seria 25 o número de barracas reestruturadas
29/08/2013 às 17:50

A Procuradoria Geral do Município (PGM) vai analisar o pedido feito pela Associação dos Permissionários do Parque da Ponta Negra de prorrogação das permissões de serviço por mais um ano. A promessa é do Prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, que na tarde da última quarta-feira (28) esteve reunido com os 11 empresários donos de quiosques instalados no calçadão da Ponta Negra.  

O pedido foi feito depois que a Prefeitura anunciou que vai realizar nova licitação para escolher os permissionários que atuam nos quiosques, atendendo determinação do Ministério Público Estadual (MPE).

Segundo o Prefeito, a Associação reivindica prazos para se ressarcirem dos prejuízos que tiveram quando pararam durante a construção da primeira etapa do local. O diretor-presidente do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), Roberto Moita, disse que além de uma exigência do MPE, as permissões dos espaços públicos da cidade não dão nenhuma segurança ao poder público e aos empresários e por isso precisam ser refeitas.

Gustavo Picanço, presidente da associação, disse que os permissionários são a favor da licitação. "O prefeito se sensibilizou com a nossa situação. Nós investimos, construímos os quiosques. Concordamos com uma licitação desde que possamos tirar os nossos investimentos feitos", contou.

Barracas da praia

Em reunião que ocorreu na tarde da última segunda-feira (26), no Implurb, o superintendente do órgão, Roberto Moita, afirmou que os editais para os permissionários trabalharem na segunda parte da Praia estão em andamento. “No caso das barracas, será permissão e não concessão. Com isso, aumentaremos o espaço para outros trabalhadores, com uma associação além da Cooperativa dos Comerciantes da Ponta Negra”, afirmou Moita.

Segundo o presidente da Cooperativa dos Comerciantes da Ponta Negra, Wollder Souza, foi discutida a idéia de alteração na estrutura das 25 barracas que percorrem a orla. "Conversamos com o superintendente do Implurb, Roberto Moita, e nos foi apresentado um projeto para que as barracas, ao invés de móveis, sejam fixas. O custo desse investimento ficaria por conta da Cooperativa". Também ficou decidida a participação dos comerciantes no processo de licitação.

Além do presidente da Cooperativa, estiveram presentes na reunião o presidente da Organização das Cooperativas do Brasil no Amazonas (OCB/Sescoop-AM), Petrúcio Magalhães Jr, o secretário da Cooperativa dos Comerciantes da Ponta Negra, Samuel Júnior, e o vereador Elias Emanuel.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.