Publicidade
Manaus
Manaus

Produção industrial apresenta queda de 1,2% no Amazonas

Na comparação com o mesmo mês de 2012, o setor industrial do País apresentou redução de 3,2% em fevereiro de 2013, com dez dos 14 locais pesquisados apontando queda na produção 06/04/2013 às 09:44
Show 1
A indústria amazonense apresentou queda em todos os períodos encerrados em fevereiro
acritica.com ---

A indústria nacional encerrou o mês de fevereiro com queda de 2,5% na produção, no confronto com janeiro deste ano. Neste mesmo período, o setor industrial do Amazonas amargou recuo de 1,2%, segundo pesquisa mensal do IBGE. 

O resultado negativo da indústria brasileira repercute a diminuição de ritmo verificada em 11 dos 14 locais pesquisados. Os únicos Estados que obtiveram variações positivas foram Goiás (5%), Rio Grande do Sul (2,1%) e Santa Catarina (0,4%).  

Na comparação com o mesmo mês de 2012, o setor industrial do País apresentou redução de 3,2% em fevereiro de 2013, com dez dos 14 locais pesquisados apontando queda na produção. Já no acumulado do primeiro bimestre, a indústria registrou crescimento de 1,1%, enquanto que nos últimos 12 meses o desempenho fechou em queda de 1,9%.

Apesar de ficarem “no vermelho”, os 12 meses encerrados em fevereiro mostram uma redução na intensidade de queda frente aos resultados de dezembro de 2012 (-2,6%) e janeiro (-2,0%).

Amazonas

Em uma direção oposta aos indicadores positivos divulgados nesta semana pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), a pesquisa do IBGE aponta que a indústria amazonense apresentou queda em todos os períodos encerrados em fevereiro. Enquanto a Suframa expõe o aumento de 12,8% no faturamento de fevereiro, na comparação com o mês anterior, o IBGE indica baixa de 1,2%. A retração quebra a alta de 2% alcançada em janeiro de 2013.

Apesar disso, o desempenho do setor industrial do Amazonas sofreu a segunda menor queda entre os locais do País que tiveram retração, ficando apenas atrás de São Paulo, que teve baixa de 0,5%.

Na comparação com fevereiro de 2012, a indústria estadual teve seu 11° resultado negativo consecutivo nesse tipo de confronto, com redução de 3,2%. Segundo o disseminador de informações do IBGE no Amazonas, Adjalma Jaques, das onze atividades pesquisadas, cinco apresentaram recuo na produção.

Um dos principais impactos veio do setor de material eletrônico, aparelhos e equipamentos de comunicações (-15,3%), que ficou pressionado pela menor fabricação de telefones celulares. Outro indicador que prejudicou o resultado geral foi o comportamento da atividade “outros equipamentos de transporte” (-19,6%), que refletiu a retração verificada no setor de motocicletas e peças.

 “Por outro lado, entre os seis ramos que apontaram crescimento na produção, as influências mais relevantes foram observadas em máquinas e equipamentos (21,1%) e edição, impressão e reprodução de gravações (16,2%), impulsionados principalmente pela maior fabricação de aparelhos de ar condicionado e de discos de vídeos (DVD), respectivamente”, diz Adjalma.

No acumulado do primeiro bimestre a produção industrial do Estado caiu 2,6%. Os fatores determinantes para esse desempenho foram as quedas verificadas na produção de motos e peças (-25,5%) e na atividade de “material eletrônico, aparelhos e equipamentos de comunicações” (-14,4%). Esse último setor se ressentiu da retração na produção de TVs e celulares.

Com relação ao acumulado dos últimos 12 meses, a indústria local mostrou queda de 6,9% em fevereiro de 2013, a segunda pior dentre os locais pesquisados pelo IBGE. Mas embora tenha perdido apenas para o Espírito Santo (-7,6%), o Amazonas mostrou ligeira redução na velocidade de queda frente ao resultado do último mês de janeiro (-7,3%).

Publicidade
Publicidade