Terça-feira, 17 de Setembro de 2019
PRÉ-ENEM

Professor elenca ferramentas que ajudam a identificar a vocação do aluno

Na hora de escolher uma área a seguir, talvez, para a vida inteira, é fundamental saber qual a importância da vocação



show_enem_123_87806783-8600-42DE-A3C1-B306393765B5.JPG Foto: Arquivo/Ac
03/09/2019 às 15:28

Vocação. Antes mesmo de iniciar a maratona de estudos para o Enem, muitos estudantes ouvem essa palavra continuamente. Afinal, qual a importância da vocação e o peso dela na escolha de uma área a seguir, talvez, para a vida inteira?

Apesar de existir uma gama de possibilidades para o aluno obter informações sobre as profissões com as quais se identifica, não é somente a vocação que pesa na hora da escolha da área após o exame. Tem muita gente que se decide pelo que considera mais rentável – uma atividade que dá dinheiro, como dizem popularmente. Tem os que preferem algo que não exija tanta responsabilidade ou os que simplesmente optam por seguir a carreira dos pais.

É natural, portanto, que muitos estudantes se vejam perdidos nessa busca, bem como é comum parte deles não se sentir atraída por nenhuma profissão. “Isso acontece, principalmente, em se tratando de adolescentes. Como eles estão em busca do seu eu, uma personalidade, novas experiências no campo emocional, afetivo e pessoal, isso também não é diferente no campo profissional”, explica o psicopedagogo da UniNorte, Wenderson Silva. Segundo ele, além da inclinação do próprio aluno, a escola tem papel fundamental na identificação do talento escondido dentro de cada um.

“Nos cursos de graduação vemos alunos que ainda não se encontraram ou que cursam até o primeiro, segundo e terceiro período e depois abandonam. Essa orientação vocacional pode ser trabalhada ainda no Ensino Médio, para evitar problemas do tipo”, destacou.

Papel da escola

O psicopedagogo define como “essencial” o papel da coordenação pedagógica, dentro de qualquer unidade de ensino. A orientação educacional deve ser feita por um profissional formado em Pedagogia, com habilitação para trabalhar no aconselhamento e assessoramento de estudantes que não sabem ao certo qual profissão pode ser a mais satisfatória após o Enem. “Cabe ao pedagogo fazer, por exemplo, oficinas e atividades para que esse aluno possa se encontrar em determinada área do conhecimento”, pontuou.

Na parte prática, ele elenca oficinas, workshops e laboratórios onde o aluno consegue ter contato com a área. Guias vocacionais, como o disponibilizado pela UniNorte, também funcionam como uma bússola neste aspecto. O importante, segundo ele, é visualizar a profissão na prática, antes mesmo de se preparar para o exame. Isso evitaria, por exemplo, profissionais frustrados, infelizes com a atividade que desempenham ou pessoas que largam a faculdade após ter certeza de que aquela área não era o que esperava.

“De certo modo, há um prejuízo muito grande, economicamente, em largar a faculdade na metade. É investido tempo, deslocamento, material”, acrescentou o psicopedagogo.

Para ele, o principal conselho para quem fará o Enem é busca ler e assistir tudo sobre a profissão que o aluno deseja seguir. “Há milhares de vídeos no YouTube e uma diversidade de materiais para ler e baixar. O importante é que ele possa verificar nos diversos meios quais são os prós e contras de cada área”.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.