Sexta-feira, 19 de Julho de 2019
Manaus

Professora com problemas cardíacos tem cirurgia adiada outra vez, em Manaus

Internada há oito meses e à espera de procedimento cardíaco, a professora Sidlene Gadelha vai ter que esperar mais uma semana, enfrentando dores e falta de ar



1.gif Sidlene, que está internada há oito meses, foi transferida para o HUGV, mas teve a cirurgia novamente adiada por conta de problemas do elevador da unidade
06/11/2014 às 11:59

O drama da professora Sidlene Martins Gadelha, 47, que há oito meses está internada por decorrência de problemas cardíacos, ainda não chegou ao fim. Apesar de a Secretaria Estadual de Saúde (Susam) ter informado, na semana passada, que a cirurgia - chamada de sinpatectomia torácica - iria ser realizada em uma semana, novamente, o procedimento foi adiado.

Transferida para o Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), a paciente, que sofre crises de angina (dor no peito) constante, aguardava para realizar o procedimento na última terça-feira, porém, novamente por problemas no elevador que dá acesso à Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a cirurgia foi cancelada.

Segundo Sidlene, as dores e a falta de ar estão cada vez frequentes e, até agora, nada tem sido feito para resolver o problema, que se arrasta há muito tempo. “Me sinto uma prisioneira, sem poder ver a luz do dia e, principalmente, sem o convívio da minha família. Estou ficando cada dia pior, porque além das dores físicas, o meu psicológico está abalado”, declarou a paciente.

De acordo com Sidlene, que sofreu o primeiro infarto em 2012, foram realizadas três cirurgias para tentar resolver o problema dela e a última indicação médica é um procedimento chamado de simpatectomia por videotoracoscopia, feito por uma equipe do Hospital Getúlio Vargas (HUGV).

Ainda de acordo com Sidlene, o primeiro obstáculo foi imposto pelo HUGV, que informou que não possuía material para realizar o procedimento, o que prontamente foi resolvido com a doação do que era necessário pela diretoria do Francisca Mendes. Porém, mesmo assim, a cirurgia não foi realizada por problemas no elevador, o mesmo que impediu novamente a realização do procedimento.

O HUGV informou que o elevador está em manutenção, por isso foi necessário o adiamento da cirurgia para a próxima terça-feira, “para maior conforto e segurança da própria paciente”.

Para Sidlene o maior presente que poderia ganhar nesse final de ano seria passar o Natal junto com a família novamente “e ver o sorriso de todos por eu estar com saúde”, revelou. “Eu só gostaria de voltar a ter uma vida tranquila, coisa que não tenho há oito meses”, disse Sidlene.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.