Publicidade
Manaus
Manaus

Professores anunciam protesto em frente à ALE-AM contra uso indevido das verbas do Fundeb

O movimento denominado "Vem pra Rua pela Educação" prevê que cerca de 70 profissionais da educação acampem em frente do órgão em protesto 25/02/2015 às 20:58
Show 1
Professores já começaram a chegar no local
Lucas Jardim Manaus (AM)

O movimento intitulado "Vem Pra Rua Pela Educação" anunciou que fará um manifestação a partir das 18h desta quarta-feira (25) em frente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), localizada na avenida Mario Ypiranda Monteiro (antiga Recife).

Eles pretendem acampar na frente do órgão esta noite e, na manhã desta quinta-feira (26), ir ao Plenário para pedir à Casa Legislativa que solicite a prestação das contas do uso das verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb).

"A Seduc (Secretaria de Estado de Educação) tem até março para apresentar as contas relativas ao uso desse dinheiro no ano de 2014 ao TCU (Tribunal de Contas da União) e ao TCE (Tribunal de Contas do Estado), mas já estamos nos adiantando e pedindo a ALE-AM que solicite essas contas. Queremos ver como esse dinheiro foi gasto no período de 2007 a 2014", explicou o professor Kennedy Pinheiro, representante do movimento.

"Os professores realmente acreditam que essas verbas, que, por lei, devem ser aplicadas na valorização dos educadores e na manutenção da estrutura da educação, tiveram desvio de finalidade", completou Kennedy.

O professor ressaltou um caso observado em um relatório apresentado ao ministro Augusto Nardes, do TCU. "Na gestão Omar Aziz/José Melo, um relatório do TCE enviado ao TCU dava conta que o (titular da Seduc) Rossieli Silva tinha gasto mais de R$ 1,3 milhão do Fundeb em salgadinhos servidos em eventos da secretaria. Isso é absurdo!", explicou o professor, que diz querer transparência nos gastos do fundo.

Acampamento

O movimento prevê que cerca de 70 professores acampem em frente a ALE-AM em protesto nesta única noite, contando com o apoio do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Educação, outro grupo que luta pelos direitos da categoria.

Kennedy destaca, ainda, que este não é a única manifestação que os professores pretendem fazer essa semana. "Nesta sexta-feira (27), vamos fazer uma caminhada na avenida Brasil, começando na Sede do Governo e terminando na Prefeitura, às 8h. Queremos pedir pelo reajustes no salário, no auxílio-transporte e no auxílio-alimentação pagos tanto pela Seduc quanto pela Semed", concluiu.

Publicidade
Publicidade