Publicidade
Manaus
PROTESTO

Professores da rede pública do Amazonas protestam contra a reforma da Previdência

Ainda nesta quarta-feira (15), centrais sindicais estarão reunidas a partir das 15h, na Praça do Congresso, para protestar contra a reforma que aumenta o tempo de contribuição dos trabalhadores 15/03/2017 às 10:30 - Atualizado em 15/03/2017 às 12:33
Camila Pereira Manaus (AM)

Mais de 300 professores da rede estadual e municipal de ensino do Amazonas se reuniram na manhã desta quarta-feira (15), em Manaus, em frente a sede do Governo do Estado, para protestar contra a reforma trabalhista e da Previdência proposta pelo governo do presidente Michel Temer, parte do Dia da Paralisação Nacional.

“Esta medida do governo deve causar impacto principalmente para os professores que vão perder a aposentaria especial do magistério", afirmou a professora Helma Sampaio, uma das manifestantes. Em todo o País, diversas categorias de trabalhadores aderiram às manifestações contra as reformas que tramitam no Congresso Nacional.

O coordenador do sindicato dos professores de Manaus, Lambert Melo. também criticou a reforma. “Todos os segmentos serão atingidos. Somos totalmente contrários a esta proposta. Sabemos do desgaste físico e emocional que os profissionais passam”, afirmou. 

Ele ressaltou ainda que os professores estão acompanhando o andamento da medida que prevê o aumento da alíquota para servidores públicos para a Amazonprev. “Estamos satisfeitos que foi a medida foi adiada na Assembleia, mas vamos acompanhar porque tira do bolso dos professores”, afirmou.

Os manifestantes ocuparam um trecho da avenida Brasil, em frente à sede do Governo do Estado, carregando cartazes e utilizando um carro de som. Eles também formaram uma comissão para entregar as reivindicações ao governo.

O ato durou até cerca de 11h de hoje, mas os professores prometem ainda promover outra manifestação às 15h na Praça do Congresso, no Centro da capital, também para protestar contra a reforma da Previdência.

Publicidade
Publicidade