Publicidade
Manaus
EDUCAÇÃO

Professores de Manaus serão treinados para ensinar alunos a desenvolverem softwares

Instituto Ayrton Senna, Ufam e Semed assinaram um termo de cooperação para que o projeto Letramento em Programação seja desenvolvido na rede municipal de ensino da capital 14/04/2018 às 05:00
Show escola
Ação foi oficializada na manhã de ontem (13). Foto: Euzivaldo Queiroz
Álik Menezes Manaus (AM)

Na era da tecnologia é natural o interesse de crianças e jovens pelos programas de celulares e computadores, jogos e tantos outros tipos de aplicativos que são utilizados diariamente. Diante desse contexto, o Programa Letramento em Programação, do Instituto Ayrton Senna (IAS), busca ensinar pela experiência e dar oportunidade de crianças e jovens estudantes desenvolverem a criatividade e passarem de apenas usuários para criadores de programas e aplicativos.

Na manhã dessa sexta-feira (13), o Instituto Ayrton Sena, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e a Secretaria Municipal de Educação (Semed) assinaram um termo de cooperação para o lançamento do programa para que ele seja desenvolvido na rede municipal de ensino de Manaus. O programa já é realizado em São Paulo, Rio Grande do Sul e Pernambuco.

O programa

“O programa se baseia na formação de professores da rede de ensino que ao longo do ano vão levar esse novo conhecimento para a sala de aula. Começa nos professores com o objetivo de chegar ao aluno. O programa busca desenvolver a criatividade dos alunos para que eles deixem de ser apenas usuários e passem a colaborar criando programas e aplicativos”, disse Adelmo Eloy, coordenador de Projetos e Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna.

Os alunos da rede municipal receberão capacitação e acompanhamento de professores do Departamento de Física da Ufam. Para o reitor da Ufam, Sylvio Puga, a parceria é importante para o futuro das crianças e adolescentes. “Esse programa permite maior inclusão dos alunos, permite que eles tenham mais acesso ao mundo digital, que é o mundo do século 21. A Ufam entra com a programação e professores que vão capacitar os professores da rede básica de ensino, que vão atuar com esses alunos”, destacou o reitor.


Cooperação para desenvolver o programa em Manaus foi formalizada ontem, com assinatura de termo entre as entidades. Foto: Divulgação

A titular da Semed, Kátia Helena Schweickardt, disse que, no total, o projeto será desenvolvido em 25 escolas da rede, beneficiando todos os professores e cerca de 2.800 alunos, e poderá ser ampliado para outras escolas. Kátia Schweickardt disse que o programa terá custo zero para o Município e é fruto do bom desempenho da educação básica. O projeto, segundo a secretária, se junta aos programas de tecnologia que já são desenvolvidos na rede municipal.

Apoio de graduandos nas escolas

Os professores de Física da Ufam Elio Molisani Ferreira dos Santos e Marisa Almeida Cavalcante serão os responsáveis pela capacitação dos professores da rede municipal. Segundo Elio, o programa é importante porque fará com que os alunos não sejam apenas usuários das tecnologias.

“Esse programa vai ajudar para que eles possam desenvolver aplicativos e programas. Aí, a tendência é melhorar o futuro da região, da comunidade local.  Esse tipo de projeto é importante para desenvolver realmente tecnologia, introduzindo isso desde criança”, disse.

O professor explicou que ao longo do ano serão seis encontros com os professores. Eles passarão instruções e posteriormente esses professores da rede municipal irão repassar o conhecimento aos alunos. “Vamos trabalhar com essa metodologia ativa, de educação criativa, educação tecnológica. Vamos ter o encontro mensal, mas os professores serão acompanhados também por alunos de licenciatura da Ufam. Teremos contato constante”.

Avaliações semestrais

Além dos treinamentos mensais, também serão realizados outros dois encontros nos quais os professores poderão apresentar os resultados. O primeiro será no dia 19, na Ufam. O outro será em dezembro, durante a programação da 2ª Semana de Arte, Ciência e Tecnologia da Ufam.

Adelmo Eloy - Coordenador de Projetos e Inovação do IAS

"É muito importante que a universidade, por meio de projetos de extensão como este, aproxime seus professores e alunos da comunidade, especialmente os licenciados que têm muitos conhecimentos serem aprendidos e compartilhados com os professores atuantes no ensino básico. Em 2018, teremos o letramento acontecendo em quatro estados: São Paulo, Rio Grande do Sul, Amazonas e Pernambuco. São 17 municípios e quatro instituições de ensino superior envolvidas. Além de fortalecer localmente a parceria – que também envolve as Secretarias de Educação do mesmo território e de seu entorno –, as universidades têm a capacidade de agregar conhecimento científico sobre o tema", afirmou.

Publicidade
Publicidade